Coaf de Bolsonaro mira David Miranda e Glenn Greenwald, responsável pela Vaza Jato

Reportagem da Revista Crusoé, do Antagonista, site porta-voz da Lava Jato, divulgou que "o antigo Coaf produziu um relatório sobre transações atípicas na conta do deputado federal David Miranda, do PSOL do Rio, informa Fabio Serapião na Crusoé". O deputado é marido do jornalista Glenn Greenwald, fundador do The Intercept, responsável pelos vazamentos que atingem Sergio Moro e outros integrantes da operação

(Foto: Lia de Paula/Agência Senado)

247 - O governo Jair Bolsonaro acaba de colocar em prática a perseguição por meio do Estado contra figuras que estão no centro da Vaza Jato - vazamentos de mensagens de autoridades pelo site The Intercept, que têm corroído a imagem do ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa.

"O antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) produziu um relatório sobre transações atípicas na conta do deputado federal David Miranda, do PSOL-RJ. O deputado é casado com Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, cujo nome também é mencionado no documento", publicou a Revista Crusoé, ligada ao site O Antagonista, porta-voz da Lava Jato.

No final de julho, Moro deu outro sinal de perseguição a Glenn, quando editou uma portaria que previa deportação sumária de estrangeiros considerados 'perigosos' (leia mais).

No dia 18 de agosto, Bolsonaro editou uma medida provisória transferindo o Coaf do Ministério da Economia, de Paulo Guedes, para o Banco Central. Em nota, o BC informou que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras passará a se chamar Unidade de Inteligência Financeira.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247