Coimbra: força de Lula vem da comparação com o presente

Para o sociólogo e diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, a força eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera em todas as pesquisas de intenção de voto, vem da comparação entre os tempos de bonança do governo petista com as sucessivas crises do Brasil atual; "Se alguém quiser entender o porquê da força de Lula, não precisa procurar longe: basta ouvir o que contam as pessoas do tempo em que ele esteve no governo e como comparam esse período com o que aconteceu com o Brasil depois que a direita reassumiu o poder", escreve; "Simpatizantes ou não do ex-presidente e do PT, todos concordam que havia emprego, o País crescia, existiam muitos e bons programas sociais. Comparado com os dias atuais, era outro Brasil", completa

Para o sociólogo e diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, a força eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera em todas as pesquisas de intenção de voto, vem da comparação entre os tempos de bonança do governo petista com as sucessivas crises do Brasil atual; "Se alguém quiser entender o porquê da força de Lula, não precisa procurar longe: basta ouvir o que contam as pessoas do tempo em que ele esteve no governo e como comparam esse período com o que aconteceu com o Brasil depois que a direita reassumiu o poder", escreve; "Simpatizantes ou não do ex-presidente e do PT, todos concordam que havia emprego, o País crescia, existiam muitos e bons programas sociais. Comparado com os dias atuais, era outro Brasil", completa
Para o sociólogo e diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, a força eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera em todas as pesquisas de intenção de voto, vem da comparação entre os tempos de bonança do governo petista com as sucessivas crises do Brasil atual; "Se alguém quiser entender o porquê da força de Lula, não precisa procurar longe: basta ouvir o que contam as pessoas do tempo em que ele esteve no governo e como comparam esse período com o que aconteceu com o Brasil depois que a direita reassumiu o poder", escreve; "Simpatizantes ou não do ex-presidente e do PT, todos concordam que havia emprego, o País crescia, existiam muitos e bons programas sociais. Comparado com os dias atuais, era outro Brasil", completa (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em artigo publicado na edição desta semana da Carta Capital, Marcos Coimbra, sociólogo e diretor do Instituto Vox Populi, fala da força eleitoral do ex-presidente Lui Inácio Lula da Silva.

Confira abaixo alguns trechos do texto:

"Hoje elas [as pessoas] se reconhecem imersas em crises cuja gênese não compreendem e para as quais não enxergam saída. Sabem apenas duas coisas: que a crise atual é a pior que conheceram e que. não faz muito tempo, tudo era diferente no Brasil. Para os entrevistados, há um mistério e um paradoxo. Como é possível que o Brasil se encontrasse bem, que as pessoas estivessem satisfeitas e que o resto do mundo nos admirasse, e que, em pouquíssimo tempo, tudo desandasse e tantos problemas se somassem?

De Sul a Norte, as pessoas do povo são unânimes ao dizer “as coisas estavam melhor quando Lula era presidente”. Simpatizantes ou não do ex-presidente e do PT, todos concordam que havia emprego, o País crescia, existiam muitos e bons programas sociais. Comparado com os dias atuais, era outro Brasil. A narrativa que recebem da mídia corporativa, dos políticos conservadores e, muito especialmente, dos juízes e promotores de direita, de que “tudo era ilusão! não as convence. Para elas, muito mais ilusória é a história que ouvem agora.

Se alguém quiser entender o porquê da força de Lula, não precisa procurar longe: basta ouvir o que contam as pessoas do tempo em que ele esteve no governo e como comparam esse período com o que aconteceu com o Brasil depois que a direita reassumiu o poder."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247