Com Planalto, Toffoli articula possibilidades para a nomeação de Ramagem

O presidente do STF, Dias Toffoli, recomendou ao núcleo jurídico do governo Bolsonaro que não afronte o ministro Alexandre de Moraes, mas que procurem alternativas mais brandas do Direito para prosseguir com a nomeação de Alexandre Ramagem

Gilmar Mendes, André Mendonça, Dias Toffoli, Michelle Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e Braga Netto
Gilmar Mendes, André Mendonça, Dias Toffoli, Michelle Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e Braga Netto (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, recomendou ao núcleo jurídico do governo Jair Bolsonaro, composto pelo novo ministro da Justiça, André Mendonça, pelo também novo advogado-geral da União, José Levi Mello, e pelo secretário-geral da Presidência, Jorge de Oliveira, que não afrontem o ministro do STF Alexandre Moraes pela decisão que tomou de suspender a nomeação de Alexandre Ramagem à Polícia Federal. Com informações de Caio Junqueira, da CNN.

Diante do anúncio de que o governo não iria recorrer da decisão de Moraes, Toffoli alertou que nem toda a Corte concorda com o posicionamento do ministro e disse que o melhor caminho seria não expor o tribunal com uma ação jurídica mais dura.

A conversa com Toffoli foi o que motivou, segundo Caio Junqueira, a fala de Jair Bolsonaro: "eu quero o Ramagem lá".

Partiu de Toffoli o conselho de que o governo entrasse com recursos mais leves, como um pedido de esclarecimentos, como embargos, de modo que Alexandre de Moraes não se sentisse confrontado.

Toffoli já conversou com Moraes para amenizar a tensão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247