Contra Marina, Lula diz que “peão não vota em patrão”

Em um discurso histórico pelo momento da campanha e do PT, ex-presidente lembra à militância o tamanho da tarefa que ela tem pela frente, na reta final da campanha da presidente Dilma Rousseff; ele definiu a disputa desse ano como "uma das piores eleições desde que o PT nasceu" e localizou o centro das dificuldades em São Paulo; cacique petista ressaltou que partido se esconde dos problemas e buscou ânimo: "Temos motivo, temos legado, temos história"; leia a íntegra do relato de Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247

Em um discurso histórico pelo momento da campanha e do PT, ex-presidente lembra à militância o tamanho da tarefa que ela tem pela frente, na reta final da campanha da presidente Dilma Rousseff; ele definiu a disputa desse ano como "uma das piores eleições desde que o PT nasceu" e localizou o centro das dificuldades em São Paulo; cacique petista ressaltou que partido se esconde dos problemas e buscou ânimo: "Temos motivo, temos legado, temos história"; leia a íntegra do relato de Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247
Em um discurso histórico pelo momento da campanha e do PT, ex-presidente lembra à militância o tamanho da tarefa que ela tem pela frente, na reta final da campanha da presidente Dilma Rousseff; ele definiu a disputa desse ano como "uma das piores eleições desde que o PT nasceu" e localizou o centro das dificuldades em São Paulo; cacique petista ressaltou que partido se esconde dos problemas e buscou ânimo: "Temos motivo, temos legado, temos história"; leia a íntegra do relato de Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247 (Foto: Gisele Federicce)

247 – Um discurso histórico. Foi o que a militância do PT ouviu ontem da boca do ex-presidente Lula e maior influente do partido na reta final da campanha presidencial. Principal cabo eleitoral da presidente Dilma Rousseff, Lula lembrou o tamanho da tarefa que os presentes terão pela frente. Antes, o presidente do partido, Rui Falcão, já havia convocado os militantes a saírem às ruas em apoio a Dilma, a 30 dias do primeiro turno das eleições.

Em relato em seu blog no 247, Paulo Moreira Leite diz que Lula falou da campanha de 2014 como "uma das piores eleições desde que o PT nasceu". E lembrou 1982, "quando ele próprio acabou em quarto lugar na disputa pelo governo do Estado de São Paulo, atrás até mesmo de Jânio Quadros, posição que lhe permitiu fazer uma ironia consigo mesmo, ao admitir que ficara muito chateado porque tinha ficado 'atrás do Jânio'". Leia um trecho:

Ele disse que o PT tem-se comportado como um partido que foge dos problemas, evita discussões difíceis, esconde-se de eleitores, deixando claro que assim fica complicado ganhar votos. "Temos motivo, temos legado, temos história" para sentir orgulho, disse. Para resumir o que disse, deu o exemplo hipotético de um petista que fez campanha para eleger o prefeito de sua cidade mas, quando o preço da passagem de ônibus sofre um aumento, ele tira a estrela da lapela em vez de discutir e explicar os problemas.

Lula localizou o centro das dificuldades da corrida ao Planalto desse ano em São Paulo, onde o candidato Alexandre Padilha exibe um desempenho mais do que sofrível na disputa pelo governo do estado e Dilma se mantém numa distância significativa "não só de Marina, mas de seu próprio desempenho em eleições anteriores", como lembra PML. Segundo a última pesquisa Datafolha, Marina Silva (PSB) lidera no estado com 42% das intenções de voto, contra 23% da petista.

Sobre Marina, ex-ministra de seu governo, Lula disse que era preciso debater seu programa e suas propostas: "não sei se Marina leu seu programa de governo. Porque se leu, não aprendeu nada nas discussões do nosso governo".

Leia a íntegra em Lula lembra que peão não vota em patrão

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247