Datafolha pró-Temer é fraude estatística

Edição deste domingo da Folha de S. Paulo publica uma pesquisa que tem como finalidade influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil; segundo o levantamento, 50% dos brasileiros querem que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros, segundo a mesma pesquisa, nem saibam o nome do interino; o levantamento também diz que apenas 3% querem novas eleições; no entanto, o mesmo Datafolha, em abril deste ano, realizou pesquisa semelhante, em que constatou que 60% defendiam a renúncia de Temer; no mesmo mês, o Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições, enquanto o Paraná Pesquisas cravou 63%

www.brasil247.com - Edição deste domingo da Folha de S. Paulo publica uma pesquisa que tem como finalidade influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil; segundo o levantamento, 50% dos brasileiros querem que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros, segundo a mesma pesquisa, nem saibam o nome do interino; o levantamento também diz que apenas 3% querem novas eleições; no entanto, o mesmo Datafolha, em abril deste ano, realizou pesquisa semelhante, em que constatou que 60% defendiam a renúncia de Temer; no mesmo mês, o Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições, enquanto o Paraná Pesquisas cravou 63%
Edição deste domingo da Folha de S. Paulo publica uma pesquisa que tem como finalidade influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil; segundo o levantamento, 50% dos brasileiros querem que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros, segundo a mesma pesquisa, nem saibam o nome do interino; o levantamento também diz que apenas 3% querem novas eleições; no entanto, o mesmo Datafolha, em abril deste ano, realizou pesquisa semelhante, em que constatou que 60% defendiam a renúncia de Temer; no mesmo mês, o Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições, enquanto o Paraná Pesquisas cravou 63% (Foto: Leonardo Attuch)


247 – Em abril deste ano, o Instituto Datafolha, controlado pela família Frias, publicou uma pesquisa de opinião pública apontando que 60% dos brasileiros defendiam a renúncia de Michel Temer, enquanto 58% apontavam que ele também deveria sofrer impeachment, assim como a presidente eleita Dilma Rousseff. Os resultados, naturalmente, favoreciam a tese de novas eleições (leia aqui).  

Neste domingo, no entanto, o mesmo Datafolha publica uma pesquisa com toda a pinta de ter sido encomendada para influenciar senadores e consolidar o golpe parlamentar no Brasil. De acordo com o levantamento, 50% dos brasileiros agora julgam que é melhor que Michel Temer continue no Palácio do Planalto, muito embora 30% dos brasileiros nem saibam seu nome. De acordo com esse levantamento, 32% defendem a volta de Dilma e 3% querem novas eleições (leia aqui).

Os 60% que, há apenas três meses, defendiam novas eleições, pregando tanto a saída de Dilma como de Temer, foram reduzidos a míseros 3% na pesquisa atual. É um resultado totalmente inconsistente não apenas com o próprio Datafolha, mas também com outros institutos. Em abril deste ano, uma pesquisa Ibope também apontou que 62% dos brasileiros defendem novas eleições (leia aqui). Um mês atrás, o Paraná Pesquisas também indicou que 63% preferem novas eleições (leia aqui).

Para que, em dois meses de interinidade, Temer tivesse transformado a rejeição de 60% em um percentual de 50% de pessoas dispostas a que ele continuasse, seu governo teria que ter operado milagres no Brasil. No entanto, o desemprego cresceu, três ministros foram demitidos e inúmeras trapalhadas ocorreram. O mais provável, portanto, é que o Datafolha tenha tentado torturar os números para consolidar o impeachment.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email