Defesa de Luciano Bivar considera ação da PF estranha diante de turbulência política

A defesa do presidente do PSL, deputado federal Luciano Bivar (PE), diz estranhar a operação da PF que investiga candidaturas de laranjas do partido em Pernambuco. "Principalmente por se estar vivenciando um momento de turbulência política"

O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar
O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A defesa do presidente do PSL, deputado federal Luciano Bivar (PE), diz estranhar a operação da PF  (Polícia Federal) que investiga candidaturas de laranjas do partido em Pernambuco. "Principalmente por se estar vivenciando um momento de turbulência política", disseram os advogados por meio de nota.

A operação acontece em meio a uma queda de braço entre Bivar e o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que ameaça deixar o partido. Na semana passada, Bolsonaro notificou a sigla pedindo mais transparência.

Endereços de Bivar e de gráficas em Pernambuco foram alguns dos alvos de mandados de busca e apreensão, autorizados pelo TRE-PE (Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco). Para a defesa, a busca na casa de seu cliente "é uma inversão da lógica da investigação".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247