Deputados do PT repudiam “invasão desmedida” da PF na sede do partido

Nota assinada pelo líder da bancada na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), classifica como "desnecessária" a ação da Polícia Federal que resultou em quase sete horas de busca e apreensão na sede do partido, em São Paulo; "Sob o pretexto de realizar uma operação policial, a PF mobilizou um aparato de guerra – incluindo uniformes de campanha e armas de alto calibre – jamais visto em tempos democráticos para atingir a imagem pública de um partido político", diz o texto; o próprio partido já havia criticado a ação nesta quinta-feira

Nota assinada pelo líder da bancada na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), classifica como "desnecessária" a ação da Polícia Federal que resultou em quase sete horas de busca e apreensão na sede do partido, em São Paulo; "Sob o pretexto de realizar uma operação policial, a PF mobilizou um aparato de guerra – incluindo uniformes de campanha e armas de alto calibre – jamais visto em tempos democráticos para atingir a imagem pública de um partido político", diz o texto; o próprio partido já havia criticado a ação nesta quinta-feira
Nota assinada pelo líder da bancada na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), classifica como "desnecessária" a ação da Polícia Federal que resultou em quase sete horas de busca e apreensão na sede do partido, em São Paulo; "Sob o pretexto de realizar uma operação policial, a PF mobilizou um aparato de guerra – incluindo uniformes de campanha e armas de alto calibre – jamais visto em tempos democráticos para atingir a imagem pública de um partido político", diz o texto; o próprio partido já havia criticado a ação nesta quinta-feira (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A bancada do PT na Câmara divulgou uma nota nesta sexta-feira 24 em repúdio à ação da Polícia Federal que resultou em quase sete horas de busca e apreensão na sede do partido em São Paulo, a qual os deputados classificaram como "invasão desmedida, desnecessária e absolutamente injustificável".

Em nota assinada pelo líder da bancada na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), eles dizem que a ação foi "desnecessária" e acusou a corporação de, "sob o pretexto de realizar uma operação policial", ter mobilizado um "aparato de guerra – incluindo uniformes de campanha e armas de alto calibre – jamais visto em tempos democráticos para atingir a imagem pública de um partido político".

O PT disse ainda causar "estranheza" que a ação tenha ocorrido em meio a denúncias contra o PMDB e o governo interino de Michel Temer e manifestou solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), cujo apartamento funcional, em Brasília, também foi alvo de busca. O próprio partido já havia criticado a ação nesta quinta-feira.

Leia a íntegra da nota:

NOTA DE REPÚDIO

A Bancada do PT na Câmara repudia a invasão desmedida, desnecessária e absolutamente injustificável da sede nacional do Partido dos Trabalhadores em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (23), por parte da Polícia Federal.

Sob o pretexto de realizar uma operação policial, a PF mobilizou um aparato de guerra – incluindo uniformes de campanha e armas de alto calibre – jamais visto em tempos democráticos para atingir a imagem pública de um partido político.

Causa estranheza que tais nuances da operação sejam utilizadas justamente num momento em que emerge para a sociedade brasileira um conjunto numeroso de escândalos e denúncias envolvendo o governo interino-golpista e seus aliados abrigados no PSDB e no DEM.

A Bancada do PT na Câmara também registra a sua solidariedade a todos os cidadãos que tiveram o seu direito de defesa cerceado por motivações claramente políticas, bem como foram expostas à execração pública, como é o caso da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que tem se destacado na defesa do mandato constitucional da presidenta Dilma Rousseff na comissão do impeachment-sem-crime-de-responsabilidade ora em funcionamento no Senado Federal.

Ao longo de toda a sua história o PT sempre respeitou e promoveu o fortalecimento das instituições de controle, fiscalização e combate à corrupção, fato que é amplamente reconhecido até mesmo pelos que hoje se valem de cargos públicos para atacar o partido.

Seguimos, portanto, confiando no Estado de Direito e na garantia dos princípios constitucionais que devem nortear a atuação de instituições e agentes públicos encarregados de efetivar a Justiça.

Entretanto, denunciaremos todos e cada um dos ataques ao partido – que são ataques à democracia – travestidos de ações judiciais, estratégia que uma parcela dos agentes públicos vem utilizando para impedir a consolidação do projeto popular no Brasil.

Afonso Florence

Líder do PT na Câmara dos Deputados

Brasília, DF, 24 de junho de 2016

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247