Deputados e senadores do PT boicotarão posse de Bolsonaro

As bancadas do PT na Câmara e Senado decidiram não comparecer à posse de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional em 1 de janeiro de 2019; é um gesto de alto impacto, pois não há precedentes desde a redemocratização do país; os parlamentares deverão dirigir-se a Curitiba, para uma posse simbólica do ex-presidente Lula; as bancadas do PCdoB e do PSOL estão discutindo se boicotarão a posse ou não

www.brasil247.com - Deputados e senadores do PT boicotarão posse de Bolsonaro
Deputados e senadores do PT boicotarão posse de Bolsonaro


247 - As bancadas do PT na Câmara e Senado decidiram não comparecer à posse de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional em 1 de janeiro de 2019. É um gesto de alto impacto, pois não há precedentes desde a redemocratização do país, marcada pela eleição de Fernando Collor de Mello. Mesmo com a derrota de Lula nas eleições de 1989, as bancadas do PT estiveram presentes à posse de Collor em 15 de março de 1990. Os parlamentares deverão dirigir-se a Curitiba, para uma posse simbólica do ex-presidente Lula. As bancadas do PC do B e do PSOL estão discutindo se boicotarão a posse ou não.

Há uma avaliação na direção do PT que a posse de Bolsonaro marca não apenas a mudança de governo no país, mas a instalação de um novo regime que, caracterizado pela interferência cada vez maior do militares na vida política nacional em aliança com a cúpula do sistema judicial brasileiro (o Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal). 

A Executiva Nacional do partido indicou a mudança na avaliação do PT em relação à conjuntura nacional em uma nota divulgada ao fim da manhã desta quinta-feira (20), na qual carateriza o período à frente como marcado por um "regime de exceção que se configura no país". Para o PT, o país saiu da trilha da democracia e do estado de direito.

Com a atitude das bancadas do PT na Câmara e Senado o partido indica à sociedade que sua postura será de confronto com o novo regime e o governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro. A cúpula do partido avalia que o clima de violência que cerca o novo poder está se apresentando no cotidiano dos movimentos sociais e explicitou-se nas cerimônias de diplomação de deputados federais, senadores e governadores em vários Estados, com tentativa de agressão de bolsonaristas a todos os que, nas eventos, manifestaram-se pela libertação de Lula. O episódio mais emblemático aconteceu em Minas Gerais, com agressões aos deputados eleitos Beatriz Cerqueira e Rogério Correia, ambos do PT.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Correia levantou um cartaz de Lula Livre na cerimônia e foi agredido pelo deputado Cabo Junio Amaral (PSL), que tentou arrancar-lhe o cartaz da mão com violência. Ele respondeu imediatamente à agressão desferindo um soco no rosto do bolsonarista. Segundo Breno Altman, em entrevista à TV 247, o episódio é ilustrativo do clima que o novo regime procurará instalar no país, com a violência contra manifestações livres do pensamento. Para Altman, a reação de Correia deve ser saudada: "em todo o mundo, quando as forças de esquerda deixaram-se intimidar pela violência fascista, foram acuadas".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja a cena da agressão e da reação do parlamentar petista e, a seguir, a entrevista de Altman à TV 247:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 Se Parlamentares eleitos são impedidos de expressar opinião política é pq ñ há liberdade dos mandatos! 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email