Desembargador que censurou o ‘Porta’ foi advogado de Bolsonaro numa acusação de homofobia

O desembargador Benedicto Abicair, do TJ-RJ, defende privilégios para o Judiciário como sendo prerrogativas justas e também foi advogado de Jair Bolsonaro numa acusação de homofobia

Desembargador Benedicto Abicair e Jair Bolsonaro
Desembargador Benedicto Abicair e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução | Alan Santos/PR)

247 - O desembargador Benedicto Abicair, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que determinou a censura ao episódio de Natal do Porta dos Fundos na plataforma Netflix tem um histórico conservador e próximo ao ocupante do planalto. 

Segundo informação do Portal BR político, ele tem artigos publicados em que defende privilégios para o Judiciário como sendo prerrogativas justas, outros em que defende teses conservadoras e foi advogado de Jair Bolsonaro numa acusação de homofobia.

Em artigo publicado em 2018, ele diz que juízes “só querem garantir seus direitos”. “Não é verdade que os juízes são “privilegiados” e que recebem ganhos exorbitantes, sendo o debate sobre legalidade e moralidade de benefícios infrutífero quando não se quer ver e ouvir. Assevero que os benefícios concedidos aos juízes são previstos em lei e, por enquanto, ainda motiva advogados a se submeterem a concursos rigorosíssimos”. 

E em 2017, o mesmo desembargador que agora decretou censura a uma obra audiovisual, foi relator de um recurso de Jair Bolsonaro, então deputado federal, no TJ-RJ, resgata reportagem do Globo.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247