Dilma prepara ação no STF contra impeachment

Estratégia teria surgido em uma reunião da presidente Dilma Rousseff com ministros e assessores diante da conclusão de que o processo de afastamento iniciado na Câmara "não tem base legal" e é "insustentável juridicamente"; num primeiro momento, deputados petistas devem ingressar com medidas judiciais na Suprema Corte durante a tramitação do processo na comissão especial do impeachment; o governo também estuda questionar judicialmente caso o grupo anexe ao pedido de afastamento a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS)

Estratégia teria surgido em uma reunião da presidente Dilma Rousseff com ministros e assessores diante da conclusão de que o processo de afastamento iniciado na Câmara "não tem base legal" e é "insustentável juridicamente"; num primeiro momento, deputados petistas devem ingressar com medidas judiciais na Suprema Corte durante a tramitação do processo na comissão especial do impeachment; o governo também estuda questionar judicialmente caso o grupo anexe ao pedido de afastamento a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS)
Estratégia teria surgido em uma reunião da presidente Dilma Rousseff com ministros e assessores diante da conclusão de que o processo de afastamento iniciado na Câmara "não tem base legal" e é "insustentável juridicamente"; num primeiro momento, deputados petistas devem ingressar com medidas judiciais na Suprema Corte durante a tramitação do processo na comissão especial do impeachment; o governo também estuda questionar judicialmente caso o grupo anexe ao pedido de afastamento a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) (Foto: Roberta Namour)

247 – A presidente Dilma Rousseff prepara um recurso ao STF (Supremo Tribunal Federal) caso seja aprovado um pedido de impeachment contra seu mandato na Câmara.

A estratégia teria surgido em uma reunião com ministros e assessores diante da conclusão de que o processo de afastamento "não tem base legal" e é "insustentável juridicamente".

Num primeiro momento, deputados petistas devem ingressar com medidas judiciais na Suprema Corte durante a tramitação do processo na comissão especial do impeachment, segundo reportagem de Valdo Cruz e Gustavo Uribe. Caso Dilma sofra uma derrota no plenário da Câmara, o governo entraria com o recurso.

A Câmara precisa do voto de pelo menos 342 dos 512 deputados federais para abrir o processo.

O governo também estuda questionar judicialmente caso a comissão anexe ao pedido de afastamento a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) – leia aqui.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247