“Dirceu me derrubou, mas salvei o Brasil dele”

Ao ter alta do hospital no Rio de Janeiro, Roberto Jefferson diz que espera em paz pelo julgamento e que fez um bem ao País, ao tirar do poder o ex-ministro da Casa Civil na disputa travada entre os dois no octógono. No fim, tudo não passou de uma vendetta pessoal, entre caciques de dois partidos da base aliada do primeiro governo Lula

“Dirceu me derrubou, mas salvei o Brasil dele”
“Dirceu me derrubou, mas salvei o Brasil dele” (Foto: Marcelo Fonseca/Folhapress_UFC/Divulgação_Folhapress)

247 – Diagnosticado com um tumor maligno no pâncreas, extirpado na semana passada, Roberto Jefferson se diz em paz e com a cabeça tranquila, pouco antes de ser julgado no processo do mensalão. Ao deixar o hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, ele falou sobre a Ação Penal 470. "Minha luta era com o José Dirceu. Ele me derrubou, mas salvei o Brasil dele".

A frase confirma a tese apontada pelo 247 na noite de ontem. Jefferson foi transformado na chamada bola da vez da imprensa, em denúncias que, se não foram plantadas, ao menos contaram com o apoio velado do Palácio do Planalto, no início de 2005 (leia mais aqui). Era um aliado caro demais. A primeira reação do presidente do PTB foi procurar Dirceu e lhe pedir apoio. O ministro da Casa Civil disse que seguraria a Globo, mas, no fim de semana seguinte, a revista Época apresentou denúncias sobre um "laranja" do ex-deputado. Foi isso que o levou a falar e a denunciar os pagamentos de recursos a parlamentares.

Jefferson diz que sua disputa no octógono com Dirceu chegou ao fim. E que agora será entre a opinião pública e os ministros do Supremo Tribunal Federal. "Acho que é o momento de afirmar a democracia no Brasil. Nunca nossas instituições de direito foram tão sólidas".

José Dirceu foi procurado, mas preferiu não comentar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247