Dirceu: voto útil vai funcionar para Haddad e não para Ciro

José Dirceu acredita que haverá voto útil em Haddad no primeiro turno: "Não acredito em voto útil para o Ciro, mas vai funcionar para o Haddad que está na frente". Ele previê que Bolsonaro deve ir ao segundo turno com algo entre 30% a 35% dos votos e Haddad terá cerca de 20% a 25%; mas não descarta que o candidato do PT alcance os 30%; Haddad vencerá, diz Dirceu: "lutou pra ser e vai ser presidente"

Dirceu: voto útil vai funcionar para Haddad e não para Ciro
Dirceu: voto útil vai funcionar para Haddad e não para Ciro

247 - José Dirceu acredita que haverá voto útil em Haddad no primeiro turno: "Não acredito em voto útil para o Ciro, mas vai funcionar para o Haddad que está na frente". Em entrevista ao jornal Valor Econômico, ele previu que Bolsonaro deve ir ao segundo turno com algo entre 30% a 35% dos votos e Haddad terá cerca de 20% a 25%. Mas não descartou que o candidato do PT alcance os 30%. Fez mais uma previsão: "No Nordeste, Haddad vai ter 60% dos votos, pode escrever". Haddad vencerá, diz Dirceu: "lutou pra ser e vai ser presidente".

Leia alguns trechos da entrevista concedida ao repórter Andrea Jube, no Recife, onde esteve para lançar seu livro de memórias:

O PT estará no segundo turno contra Jair Bolsonaro?

As pesquisas indicam isso e a conjuntura política também. Bolsonaro tem um eleitorado consolidado de 30% a 35% dos votos, e o Haddad terá cerca de 20% a 25%. Então são 60% dos votos já mais ou menos consolidados, acho improvável que outro candidato chegue aos 20%. O Ciro [Gomes, do PDT] pode manter essa média de 13% a 15%, mas não acredito que passe disso.

Haddad ainda tem margem de crescimento?

Dirceu: Ele pode chegar nos 30%, não é impossível. Mas depende da campanha, dos debates, dos incidentes. Porque não existe candidato do governo nem dos governos do PSDB. No Nordeste, Haddad vai ter 60% dos votos, pode escrever.

O senhor tem receio do voto útil em Ciro Gomes, porque Haddad é o único que não vence Bolsonaro no segundo turno?

Não acredito em voto útil para o Ciro, mas vai funcionar para o Haddad que está na frente.

 Bolsonaro cresce mais, depois que deixar o hospital?

No Brasil, 45% dos votos são nossos, e 45% dos conservadores. Se o Alckmin não consegue empolgar esse eleitorado, esses eleitores correm para o Bolsonaro, nem tapam o nariz. Se votaram no [Fernando] Collor e em Jânio [Quadros] por que não votariam no Bolsonaro?

Então pela história, Bolsonaro está quase eleito?

Não é assim, naquela época [de Jânio] não tinha o PT e não tinha Lula. E quando elegeram Collor, o PT não tinha o eleitorado consolidado que tem hoje.

Se Haddad for para o segundo turno, Ciro Gomes estará com ele?

O Ciro já está conosco, ele já declarou que vota contra o Bolsonaro, até o Fernando Henrique [Cardoso] falou isso.

Haddad não era o preferido do PT para o lugar de Lula...

Era sim, o PT tinha dois nomes desde o começo: Jaques Wagner e Haddad.

A maioria preferia Wagner, não foi uma espécie de traição ele dizer não ao Lula?

Não faço nenhuma crítica ao Wagner, é um direito que ele tem. Ele foi franco e sincero desde o começo, quando disse que não queria, nós é que ficamos insistindo. Ele já deu provas mais do que suficientes de que é leal ao Lula e ao PT.

E o que o senhor acha de Haddad no lugar de Lula?

A maior vantagem do Haddad é que ele quer ser candidato, lutou pra ser e vai ser presidente.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247