Direita vive momento inédito de 'salve-se quem puder'

A desorientação no campo da direita começa a provocar o estilhaçamento partidário e a produzir divisões internas como nunca o campo conservador brasileiro experimentou; a falta de um nome para representar o segmento na disputa eleitoral pelo Planalto provoca o sentimento de 'salve-se quem puder' nas alas internas dos partidos; dentro do DEM, de Rodrigo Maia, há quem defenda o pré-candidato à presidência do PSDB, do PDT e até mesmo do PSL

acm neto rodrigo maia
acm neto rodrigo maia (Foto: Gustavo Conde)

247 - A desorientação no campo da direita começa a provocar o estilhaçamento partidário e a produzir divisões internas como nunca o campo conservador brasileiro experimentou. A falta de um nome para representar o segmento na disputa eleitoral pelo Planalto provoca o sentimento de 'salve-se quem puder' nas alas internas dos partidos. Dentro do DEM, de Rodrigo Maia, há quem defenda o pré-candidato à presidência do PSDB, do PDT e até mesmo do PSL.

"A fragmentação da centro-direita começa a inflar divisões dentro dos partidos que não conseguem chegar a um consenso sobre o nome que os representará na disputa eleitoral pelo Planalto. Deputados do DEM, por exemplo, estão apartados em três alas: a que prega o apoio a Ciro Gomes (PDT), a que prefere Geraldo Alckmin (PSDB) e a que aposta em Jair Bolsonaro (PSL). No grupo de WhatsApp da bancada da sigla, há discussões e guerra de memes sobre o melhor candidato.

(...)   O presidente da Câmara também teve de frear discussão no grupo do partido quando um colega que apoia Bolsonaro enviou um vídeo com uma coletânea de declarações desastradas de Ciro Gomes. Se a decisão do DEM for calçada no quesito quem fala mais besteira, brincou Maia, a competição será acirrada. Recorte geográfico A divisão no DEM, assim como em partidos do centrão, tem forte viés regional. No PP, por exemplo, os quadros do Nordeste são Ciro Gomes enquanto os do Sul apoiam Alckmin.

Leia mais aqui.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247