Eliane aponta riscos para Dilma e Alckmin

Segundo a colunista, enquanto a presidente pode ser prejudicada pela economia, o governador de São Paulo enfrenta o risco da crescente percepção de insegurança em São Paulo

Eliane aponta riscos para Dilma e Alckmin
Eliane aponta riscos para Dilma e Alckmin (Foto: EPIT�CIO PESSOA)

247 - Tanto a presidente Dilma Rousseff quando o governador Geraldo Alckmin podem ser derrotados em 2014. É o que diz a colunista Eliane Cantanhêde, da Folha. Enquanto ele tem como calcanhar de Aquiles a segurança, o problema de Dilma seria a economia. Leia abaixo:

Tão longe, tão perto - ELIANE CANTANHÊDE

BRASÍLIA - A posição e os percalços da presidente Dilma e do governador Alckmin em 2014 guardam semelhanças. E não são poucas.

Ambos têm máquina, popularidade, partidos fortes, bases de apoio folgadas e caixas de campanha recheadas. Mas vão enfrentar problemas parecidos: alguma fadiga de material do PT no plano nacional, em mais de 12 anos no poder, e muita do PSDB no paulista, depois de 20 anos.

Cada um dos favoritos para os dois cargos mais cobiçados da República tem também o seu calcanhar de aquiles: contra Dilma, incertezas na economia, com um índice pior do que o outro; contra Alckmin, a escalada da violência, com uma morte macabra atrás da outra no Estado.

Pela força, Dilma e Alckmin despertam uma gana enorme das suas oposições --o PSDB na eleição presidencial e o PT na estadual. Pelas fraquezas, tendem a unir as forças oposicionistas na armação do jogo.

Qualquer um que vá para o segundo turno contra Dilma e Alckmin será muito forte. Por isso, Aécio, Eduardo Campos e Marina movem seus pauzinhos para aumentar a chance de haver segundo turno. E Lula move mundos e fundos para a ainda incerta vitória de Dilma no primeiro e para levar o candidato do PT ao segundo em São Paulo.

A estratégia do PT é repetir no Estado as campanhas de Dilma e de Haddad: sangue novo, alianças inchadas. Alexandre Padilha (Saúde) cabe bem nesse pacote. Se chegar ao segundo turno, Alckmin que se cuide.

E, por mais que precisem um do outro agora, o pacto Aécio-Campos tem prazo de validade. Se Dilma corre sozinha, eles têm dois desafios: primeiro, vencer o outro; só depois enfrentar Dilma. O segundo turno? Como se diz, é "uma nova eleição".

As maiores preocupações de Dilma e de Alckmin, porém, são outras. A dela, falta de uma política econômica. A dele, falta de segurança.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247