Em primeiro ato de campanha, Lula chama Bolsonaro de ‘genocida’ e diz que ele é possuído pelo demônio

Ex-presidente não baixou o tom nas críticas, mesmo depois de a Justiça Eleitoral ter determinado a retirada de vídeos que chamavam Bolsonaro de “genocida”

www.brasil247.com - Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: REUTERS/Carla Carniel)


247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve o tom das críticaxs a Jair Bolsonaro (PL) em seu primeiro ato de campanha nesta terça-feira (16), mesmo após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) censurar o petista ao determinar que ele não use a palavra "genocida" para se referir ao oponente. Em discurso na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, o ex-presidente afirmou que Bolsonaro é "fajuto". 

"Quero dizer a você, presidente genocida. A gente não quer um governo que distribua armas, a gente quer um governo que distribua livros. A gente não quer um governo que alimente o ódio, mas o amor. Você não derramou uma lágrima para as 680 mil pessoas que morreram de Covid-19. Você foi negacionista, não acreditou na Ciência, na Medicina, nos governadores, mas acreditou na sua mentira", disse o candidato do PT à presidência. 

Lula também falou mirando os evangélicos: "Ele é um fariseu e está tentando manipular a boa-fé de homens e mulheres evangélicos que vão à Igreja tratar da sua fé, da sua espiritualidade. Eles ficam tentando contar mentira o tempo inteiro. Mentiras sobre o Lula, sobre a mulher do Lula, sobre vocês, sobre índios e quilombolas".

"Não haverá mentira e nem fake news que manterá você governando esse país, Bolsonaro", acrescentou Lula. Se tem alguém que é possuído pelo demônio é esse Bolsonaro", completou.

Início de campanha

"Resolvi fazer o lançamento da candidatura na porta de fábrica no ABC porque foi aqui que tudo aconteceu na minha vida. Foi aqui que eu aprendi a ser gente e que eu tomei consciência política. Tudo que eu vivi na vida, que aprendi na política, nas vitórias e nas derrotas, eu devo aos metalúrgicos do ABC. Foi na porta da Volkswagen, da Ford, que a gente conseguiu fazer com que a classe trabalhadora brasileira se politizasse e fizesse as greves pela democracia", acrescentou. 

O ex-presidente também prometeu "reajustar a tabela do Imposto de Renda". "Vocês não vão ver mais criança pedindo esmola. Esse País tem que ter vergonha na cara. Vamos fazer a maior transformação… volta do emprego, do salário".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email