Empresa ligada a tucanos é declarada inidônea

A Diana Paoluci S/A, conhecida por fornecer uniformes escolares ao governo de São Paulo, não pode mais participar de licitações da ECT; Polícia Federal investiga atuação da empresa na secretaria de Educação de São Paulo, e na época em que o vice de José Serra à Prefeitura, Alexandre Schneider, era secretário

Empresa ligada a tucanos é declarada inidônea
Empresa ligada a tucanos é declarada inidônea (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) declarou inidônea a empresa Diana Paoluci S/A, que, junto com a Mercosul Comercial e a Capricórnio (há quem as chame de a "máfia da Mooca"), controla o milionário negócio de fornecimento de uniformes escolares ao governo paulista. Em razão de "ações ilícitas", a empresa está proibida de participar de novas licitações na estatal. O detalhe é que a Polícia Federal investiga a atuação nacional de um cartel de empresas fornecedoras de uniformes escolares que, em São Paulo, teria atuado livremente com o aval do então secretário de Educação de São Paulo Alexandre Schneider, vice de José Serra (PSDB) na chapa pela Prefeitura de São Paulo. 

Segundo as investigações, expostas em matéria publicada pela última edição da revista Istoé (leia 'O vice problema'), só um contrato com aval de Schneider pode ter custado R$ 33,5 milhões a mais ao Estado. Uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revelou que sócios de empresas da tal "máfia da Mooca" fizeram doações expressivas em dinheiro ao PSDB nacional.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email