Erika Kokay: Bolsonaro quer fazer do Brasil o país das prisões

Durante Encontro de Assinantes do 247 em Brasília, a deputada federal (PT-DF) discursou sobre fascismo, direitos humanos e minorias e pregou a união entre os setores que lutam pelos direitos no Brasil. “Nós precisamos elaborar uma discussão de unidade entre os diversos segmentos que defendem os direitos”, disse. Assista

247 - A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) falou, durante o Encontro de Assinantes do 247 em Brasília, realizado no último sábado 25, em defesa das minorias e dos direitos humanos. Ela também explicou as características que movem os fascistas do atual governo e comentou o discurso de ódio que, segundo ela, fez com que Jair Bolsonaro chegasse ao poder.

A parlamentar enfatizou a importância da união entre os setores que lutam pelos direitos no Brasil e disse que o atual governo quer fazer no Brasil o país das prisões. “Nós precisamos elaborar uma discussão de unidade entre os diversos segmentos que defendem os direitos. Como é possível achar que se vive a humanidade de você não pode viver sua afetividade? Dentro de armário ninguém e humano, dentro de prisão ninguém é humano, em manicômios ninguém é humano. Estamos em um governo que quer fazer do Brasil o país das prisões, o país dos armários e dos manicômios. Não sabem eles que a população LGBT explodiu os armários e viraram foi purpurina, essa purpurina gruda na pele e gruda na alma”. 

A deputada relacionou as características fascistas do governo com o discurso de ódio e afirmou que este discurso está se institucionalizando no país. “Estamos vivenciando no Brasil um processo de construção de uma lógica fascista, ou protofascista, e nós estamos vivenciando uma construção e institucionalização de um discurso de ódio. É uma ousadia sem tamanho de um governo que foi eleito sem dizer qual era o seu projeto para o país, em nenhum momento isso foi dito. Foi eleito em cima de um discurso de ódio que ele mesmo assume: ‘nós estamos para destruir, não estamos para construir’. Ou seja, é um discurso de ódio. Discurso não é inocente, discurso é ponte entre pensamento e ação, se transforma em bala, em hematoma, discurso vira estatística nesse país”.  

Erika Kokay também disse que o discurso de ódio impacta os direitos. “O discurso de ódio que é construído significa um ataque aos direitos que foram conquistados nesse país sempre com muita dor. Os direitos são frutos de dor, mas também são frutos de luta, de conquista,de esperança, enfim, eles estão solapando o conjunto dos direitos”.  

Ataques  

A deputada citou alguns exemplos de ataques do governo de Jair Bolsonaro que prejudicam os direitos conquistados pela população brasileira. O ataque às universidades, ao meio ambiente e o golpe contra a ex-presidenta Dilma Rousseff foram exemplos dos recentes ataques do governo dados pela deputada federal Erika Kokay.

“O ataque às universidade é um ataque doloso, não é um ataque apenas de opções para construir um dito ajuste fiscal, que não existirá com o nível de liberalidade e com o nível de crescimento vertiginoso das nossas despesas financeiras. Portanto, eles estão buscando silenciar a própria universidade”.

“O Ministério do Meio Ambiente é office boy do latifúndio, é ventríloquo daqueles que acham que o brasil cabe dentro de uma cerca e que o povo brasileiro é gado”, declarou.

E completou: “O golpe contra a Dilma é um golpe continuado, golpe não fica ensimesmado, ele vai esgarçando o tecido dos direitos, vai buscando naturalizar as nossas formas de violência e vai buscando fazer com que tenhamos um Brasil no qual não cabe o povo brasileiro, no qual não cabem os direitos do povo brasileiro”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247