Ernesto Araújo compra a guerra de Eduardo Bolsonaro contra a China e coloca em risco a economia brasileira

Submisso aos interesses de Donald Trump, o chanceler Ernesto Araújo seguiu o exemplo de Eduardo Bolsonaro e atacou o país que mais importa e mais investe no Brasil; com isso, ele contribui para a destruição completa da economia brasileira, que deve cair 10% no segundo trimestre deste ano

www.brasil247.com - Embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, Eduardo Bolsonaro e Ernesto Araújo
Embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, Eduardo Bolsonaro e Ernesto Araújo (Foto: Agência Brasil)


247 - Um dia depois do ataque feito pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) à China, culpada por ele pela disseminação do coronavírus no mundo, por ser uma “ditadura”, o chanceler do governo Jair Bolsonaro, Ernesto Araújo, comprou a briga do filho do presidente.

O ataque de Eduardo foi repreendido pelo embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, que exigiu um pedido de desculpas do governo brasileiro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu desculpas em nome do País pela declaração absurda do deputado.

Em um comunicado publicado nas redes sociais, Araújo diz ser “inaceitável” que o embaixador da China compartilhe mensagem ofensiva ao chefe de Estado e aos seus eleitores. Diz ainda que a opinião de Eduardo não corresponde à opinião do governo brasileiro, mas ressalva que seu posicionamento não atacou o chefe de Estado chinês.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a nota, o ministro das Relações Exteriores contribui para a destruição completa da economia brasileira, que deve cair 10% no segundo trimestre deste ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia a íntegra abaixo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email