“Estratégia do governo não está dando certo”

Cientista político Wanderley Guilherme fala em "indiferença do governo em relação ao espanto e reclamações de seus eleitores, ao lado de afagos a adversários de ontem"; em entrevista a Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, ele ataca: "Não sei quais são os formuladores da estratégia atual do governo, mas é óbvio que não está dando certo. Está sendo questionada por antigos apoiadores sem conquistar a simpatia de seus tradicionais adversários"; segundo ele, nomeações da presidente Dilma surpreendem setores da esquerda e há "omissão" no caso Petrobras; seu sonho, porém, não acabou, diz; "Continuo do mesmo lado e seguro de que ainda falta um bom caminho para tornar o País mais rico e justo"

Cientista político Wanderley Guilherme fala em "indiferença do governo em relação ao espanto e reclamações de seus eleitores, ao lado de afagos a adversários de ontem"; em entrevista a Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, ele ataca: "Não sei quais são os formuladores da estratégia atual do governo, mas é óbvio que não está dando certo. Está sendo questionada por antigos apoiadores sem conquistar a simpatia de seus tradicionais adversários"; segundo ele, nomeações da presidente Dilma surpreendem setores da esquerda e há "omissão" no caso Petrobras; seu sonho, porém, não acabou, diz; "Continuo do mesmo lado e seguro de que ainda falta um bom caminho para tornar o País mais rico e justo"
Cientista político Wanderley Guilherme fala em "indiferença do governo em relação ao espanto e reclamações de seus eleitores, ao lado de afagos a adversários de ontem"; em entrevista a Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, ele ataca: "Não sei quais são os formuladores da estratégia atual do governo, mas é óbvio que não está dando certo. Está sendo questionada por antigos apoiadores sem conquistar a simpatia de seus tradicionais adversários"; segundo ele, nomeações da presidente Dilma surpreendem setores da esquerda e há "omissão" no caso Petrobras; seu sonho, porém, não acabou, diz; "Continuo do mesmo lado e seguro de que ainda falta um bom caminho para tornar o País mais rico e justo" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Defensor do governo Dilma, o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos faz ataques à "estratégia atual do governo", que, segundo ele, "não está dando certo". Ele critica "omissão" do Palácio do Planalto em relação às denúncias de corrupção na Petrobras – "sabia ou não sabia?" – diz que as nomeações da presidente surpreenderam setores da esquerda e fala em "indiferença" ao eleitor, "ao lado de afagos a adversário de ontem".

As declarações foram feitas em entrevista ao jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília. "Não sei quais são os formuladores da estratégia atual do governo, mas é óbvio que não está dando certo. Está sendo questionada por antigos apoiadores sem conquistar a simpatia de seus tradicionais adversários", diz ele a PML. Com a indicação dos novos ministros, Dilma "surpreende a praticamente todos os setores da esquerda com suas indicações", acrescenta.

O cientista político fala ainda em uma "indiferença do governo em relação ao espanto e reclamações de seus eleitores, ao lado de afagos a adversários de ontem", comportamento que pode ser entendido, segundo ele, "como abuso de confiança". "O governo deve satisfações a quem o elegeu", defende.

Questionado por Paulo Moreira Leite se, como defensor da candidatura de Dilma Rousseff à presidência, está vivenciando um momento de 'o sonho acabou', ele responde: "Não, meu sonho não acabou, não. Continuo do mesmo lado e seguro de que ainda falta um bom caminho para tornar o País mais rico e justo. Mas não sou governista nem militante partidário, sem dever obediência, portanto, senão a minhas opiniões, pelas quais sou responsável".

Leia aqui a íntegra da entrevista.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247