Ex-mulher creditou sumiço de seus bens a Bolsonaro, diz chaveiro

O chaveiro Jalmir Araújo de Azevedo, especializado em cofres bancários, revela que socorreu a advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, que não conseguia abrir seu cofre com a chave de que dispunha; “Quando viu que não tinha nada lá, a mulher do Bolsonaro disse que foi roubada e chamou todo mundo de ladrão. Ela endoideceu e começou a gritar que o Bolsonaro foi lá e tirou tudo dela", diz Jalmir

Ex-mulher creditou sumiço de seus bens a Bolsonaro, diz chaveiro
Ex-mulher creditou sumiço de seus bens a Bolsonaro, diz chaveiro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O chaveiro Jalmir Araújo de Azevedo, especializado em cofres bancários, revela, de acordo com reportagem de Bruno Abud e Carolina Heringer, na Revista Época, que no fim de outubro de 2007 recebeu um telefonema para socorrer uma cliente, a advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro.

Segundo ele, ela não conseguia abrir seu cofre com a chave de que dispunha e que quando  concluiu o serviço o cofre estava vazio. De acordo com o chaveiro, a advogada creditou o sumiço de seus pertences — 200 mil reais em espécie, 600 mil reais em joias e 30 mil dólares, conforme revelou em depoimento na 5ª DP (Mem de Sá), em 26 de outubro de 2007 — a Bolsonaro.

— Quando viu que não tinha nada lá, a mulher do Bolsonaro disse que foi roubada e chamou todo mundo de ladrão. Ela endoideceu e começou a gritar que o Bolsonaro, mancomunado com o Banco do Brasil, foi lá e tirou tudo dela — diz Jalmir.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247