Fachin pede para retornar à 1ª Turma do STF após aposentadoria de Marco Aurélio

O gabinete do ministro informou em nota que, caso a mudança seja confirmada pela presidência e pelo Tribunal, o julgamento de todos os processos referentes à Lava Jato permaneceriam na Segunda Turma

Fachin integrava a Primeira Turma até a morte do ministro Teori Zavascki
Fachin integrava a Primeira Turma até a morte do ministro Teori Zavascki (Foto: Carlos Moura/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou ofício ao presidente da Corte Luiz Fux pedindo para ser transferido para a Primeira Turma após Marco Aurélio Mello deixar o Tribunal em julho.

Fachin atualmente integra a Segunda Turma, onde é relator dos processos da Lava Jato. O ministro vem sofrendo diversas derrotas, como no julgamento que condenou o ex-juiz Sergio Moro por parcialidade contra o ex-presidente Lula. 

Segundo o portal jurídico Migalhas, o gabinete de Fachin informou em nota que, caso a mudança seja confirmada pela presidência e pelo Tribunal, o julgamento de todos os processos referentes à Lava Jato permaneceria na Segunda Turma. 

PUBLICIDADE

Já o G1, que revelou a informação, aponta que os processos passariam a ser julgados pela Primeira Turma.

O ministro integrava a Primeira Turma até a morte em acidente aéreo de Teori Zavascki, em janeiro de 2017. Após a transferência, Fachin assumiu a relatoria da Lava Jato, que era de Zavascki.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email