FHC diz que delação de Joesley, que atinge Aécio, não deve ser anulada

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu que a delação do empresário Joesley Batista, da JBS, deve ser considerada; dentro do PSDB, o mais prejudicado com as revelações de Joesley é o senador mineiro Aécio Neves, que pediu milhões emprestados ao empresário e nas mais recentes gravações descobertas é chamado de "bandidão" por Joesley; "Se a delação significa que houve indício e, se além do indício, encontrar elementos comprobatórios de um crime, é claro que isso vale, deve valer"

FHC diz que delação de Joesley, que atinge Aécio, não deve ser anulada
FHC diz que delação de Joesley, que atinge Aécio, não deve ser anulada (Foto: Edson Lopes Jr.)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu ontem que a delação do empresário Joesley Batista, da JBS, deve ser considerada. Dentro do PSDB, o mais prejudicado com as revelações de Joesley é o senador mineiro Aécio Neves, que pediu milhões emprestados ao empresário e nas mais recentes gravações descobertas é chamado de "bandidão".

"Se a delação significa que houve indício e, se além do indício, encontrar elementos comprobatórios de um crime, é claro que isso vale, deve valer. O fato de que a pessoa foi um pouco fanfarrão - e é bastante fanfarrão - não é suficiente para anular, se os indícios levarem a uma coisa mais concreta do que a palavra dele", disse FHC ao participar de um evento promovido pelo grupo Lide, fundado pelo prefeito João Doria.

Embora Joesley considere Aécio um político de importância menor diante de alvos como Michel Temer (PMDB), o empresário dono da JBS se justifica na gravação: “Ele (Aécio) ficou pequenininho… (risos). Não, nós vamos, só porque ele é bandidão mesmo. Você sabe que esse aqui, os outros vai ficar pequenininho, pequenas causas, não vai precisar”.

 

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247