FHC sobre Aécio e Serra: “esqueleto tem que enterrar”

Questionado sobre o que seu partido, o PSDB, deve fazer com “seus esqueletos”, o ex-presidente tucano respondeu: “Acho que, esqueleto, o próprio nome diz: tem que enterrar, né?”

Ex-presidente também alertou que, dentro do governo, não pode haver ódio contra opositores
Ex-presidente também alertou que, dentro do governo, não pode haver ódio contra opositores (Foto: NACHO DOCE - REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é da opinião de que o PSDB deve “enterrar seus esqueletos”, fazendo referência a nomes como Aécio Neves e José Serra, alvos de inquéritos na Justiça, porém sem punição.

Em entrevista ao UOL, FHC foi questionado sobre o que o seu partido deveria fazer com “seus esqueletos”. O jornalista citou, na pergunta, três exemplos: Aécio, Serra e Geraldo Alckmin. O tucano respondeu: “Acho que, esqueleto, o próprio nome diz: tem que enterrar, né?”. 

E acrescentou, livrando Alckmin do título: “Agora, nem todos são esqueletos. Alguns parecem ser, mas estão vivos ainda. Então, não vai enterrar antes da hora”. Em seguida, fez elogios ao ex-governador de São Paulo.

“O PSDB tem dificuldade nesta matéria [de fazer autocrítica] e paga preço por isso também. Onde é que nós fomos realmente vitoriosos [nestas eleições municipais]? Certamente em São Paulo. Por quê? Por que o Geraldo Alckmin é um sujeito que todo mundo sabe que é sério. Ninguém põe em dúvida a seriedade do Geraldo. O PSDB tem a tradição de ter uma certa efetividade. Em São Paulo, vai bem”, comentou.

Em São Paulo, o PSDB elegeu neste domingo (29) Bruno Covas como prefeito, cujo principal cabo eleitoral foi João Doria, atual governador e ex-prefeito na chapa de Covas. Doria, porém, não foi citado por FHC como responsável pela vitória na capital paulista.

O atual governador foi citado por FHC, no entanto, como potencial nome para disputar a presidência pelo partido em 2022, assim como Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247