FHC volta a minimizar troca de mensagens de seu protetor Moro

Da Europa, ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) voltou a minimizar a troca de mensagens criminosa entre o ministro da Justiça Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato; “É pecado venial, não é mortal”

(Foto: Foto: Reuters)

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) voltou a defender o ex-juiz e ministro da Justiça, Sérgio Moro, em um evento nesta terça-feira (25). Em Portugal, FHC, que foi protegido por Moro e pelos procuradores da Lava Jato durante a operação, segundo troca de mensgens divulgada pelo site The Intercept Brasil, disse que o ex-juiz cometeu "pecado venial, não mortal".

“Eu acho que o Sergio Moro, enquanto juiz, era natural que conversasse com um ou com outro. Não podemos supor que as pessoas viviam num laboratório abstrato. As pessoas têm relações e podem até, nas conversas pessoais, exagerar, e isso não ser apropriado diante daquilo que se olha na sociedade”, disse o tucano.

Ele se esquivou das perguntas sobre a proteção de Moro em relação a si. “A meu respeito não tem nada. O que ele disse é uma coisa de consideração apenas, sem envolver nada. Até porque não há nenhuma acusação contra mim, nunca houve”, disse.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247