Gleisi: contra Lula, TSE decidiu atropelar o direito

Senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, disse que o TSE cometeu "mais uma violência" contra a candidatura de Lula ao incluir de última hora o seu julgamento na pauta desta sexta-feira, 31; "Lula tem direito de ser candidato, conforme a lei brasileira e por determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que o estado brasileiro tem de cumprir. O povo brasileiro tem o direito de votar em que melhor o representa. E o Judiciário tem de fazer valer esses direitos", diz a dirigente petista

Gleisi: contra Lula, TSE decidiu atropelar o direito
Gleisi: contra Lula, TSE decidiu atropelar o direito (Foto: Ricardo Stuckert)

247 - A senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, disse que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cometeu "mais uma violência" contra a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, ao incluir de última hora o seu julgamento na pauta desta sexta-feira, 31. 

"A defesa de Lula, protocolada ontem à noite, tem cerca de 200 páginas contendo provas e argumentos que certamente não foram lidos com a devida atenção pelos ministros, dada a evidente falta de tempo para tal", lembra Gleisi em nota. 

"Lula tem direito de ser candidato, conforme a lei brasileira e por determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que o estado brasileiro tem de cumprir. O povo brasileiro tem o direito de votar em que melhor o representa. E o Judiciário tem de fazer valer esses direitos", diz a dirigente petista. 

Leia, abaixo, anota na íntegra:

JULGAMENTO NO TSE É MAIS UMA DISCRIMINAÇÃO CONTRA LULA

Ao incluir de última hora, na pauta da sessão extraordinária desta sexta (31), o julgamento do registro do candidato Lula, o Tribunal Superior Eleitoral comete mais uma violência judicial contra Lula e o povo que quer elegê-lo presidente.

O julgamento feito às pressas passa por cima de ritos previstos na lei, como as alegações finais, diferentemente do que ocorreu com outras candidaturas impugnadas, como as de Geraldo Alkmin e Jair Bolsonaro, baluartes do golpe do impeachment.

A defesa de Lula, protocolada ontem à noite, tem cerca de 200 páginas contendo provas e argumentos que certamente não foram lidos com a devida atenção pelos ministros, dada a evidente falta de tempo para tal.

Setores do Judiciário brasileiro vêm tratando Lula de forma parcial e discriminatória, inclusive nas cortes superiores. Contra ele, tudo se torna possível, até os mais flagrantes atropelos ao direito de defesa, às normas processuais, à Constituição.

Lula tem direito de ser candidato, conforme a lei brasileira e por determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que o estado brasileiro tem de cumprir. O povo brasileiro tem o direito de votar em que melhor o representa. E o Judiciário tem de fazer valer esses direitos.

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do PT

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247