'Inocentada' por inquérito, oposição mira ministra

Após inquérito da Polícia Federal concluir que o boato de maio sobre o fim do programa do Bolsa Família foi "espontâneo", parlamentares da oposição anunciam que vão entrar com representação contra a ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário; na época dos boatos, quando milhares de pessoas buscaram os benefícios em agência da Caixa, a ministra atribuiu os rumores à "central de notícias da oposição"; "Ela precisa responder por esse ato", diz o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO)

'Inocentada' por inquérito, oposição mira ministra
'Inocentada' por inquérito, oposição mira ministra

247 - Parlamentares da oposição anunciaram que vão entrar com representação contra a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, na Comissão de Ética Pública do governo por ela ter responsabilizado os oposicionistas pelos boatos sobre o fim do programa Bolsa Família, em maio. Nesta sexta-feira, a encerrou o inquérito sobre o caso, concluindo que o boato que levou milhares de pessoas a agências da Caixa Econômica Federal e a casa lotéricas de 12 Estados "foi espontâneo".

À época do caso, Maria do Rosário disse que os boatos sobre o fim do programa devia ter surgido da oposição. "Boatos sobre fim do bolsa família deve ser da central de notícias da oposição. Revela posição ou desejo de quem nunca valorizou a política", escreveu a ministra em sua conta no Twitter, sem dar mais explicações (relembre). Diante de protestos, Maria do Rosário apagou o comentário e retirou o que disse, mas o estrago estava feito.

"Uma ministra de Estado não pode ter esse comportamento, uma ação político-eleitoreira, querendo transferir a desorganização do governo para a oposição. Ela precisa responder a esse ato", criticou nesta sexta-feira, após a conclusão do inquérito pela PF, o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), que será responsável pela ação contra Rosário na comissão.

O deputado disse que que a disputa eleitoral antecipada levou a petista a acusar DEM e PSDB pela disseminação dos boatos, na mesma linha de outros oposicionistas. "Os petistas não hesitam em fazer média com a inquietação da população. Não hesitaram em fazer factoide político com uma mentira em ano pré-eleitoral", criticou o presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN).

Segundo o senador, o governo sabia desde o início que falhas técnicas tinham desencadeado os boatos. "Atribuíram à oposição uma coisa que eles sabiam ser falha do sistema deles", completou. Vice-líder do PSDB, o senador Álvaro Dias (PR) engrossou o coro: "Não era necessário nem nos dizer que não era a oposição porque estava visível que se tratava de uma lambança dentro do próprio governo, na Caixa Econômica Federal. Nós queríamos que as investigações alcançassem outras instâncias, mas isso não avançou",

 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247