Instituto Lula: 'privacidade da família foi violentada'

Nota foi divulgada em resposta a mais uma denúncia contra o ex-presidente neste fim de semana; desta vez, a revista Veja acusa Lula de enviar pertences seus e de sua família para o sítio que frequentava em Atibaia; segundo o Instituto Lula, "parte dos objetos pessoais" de Lula "foi levada para o sítio Santa Bárbara com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas. Tudo feito de forma oficial e registrada"; o texto afirma ainda que "mais uma vez a privacidade da família do ex-presidente foi violentada, na tentativa sistemática de associá-lo a processos em que ele não é investigado nem sequer nomeado"

www.brasil247.com - Nota foi divulgada em resposta a mais uma denúncia contra o ex-presidente neste fim de semana; desta vez, a revista Veja acusa Lula de enviar pertences seus e de sua família para o sítio que frequentava em Atibaia; segundo o Instituto Lula, "parte dos objetos pessoais" de Lula "foi levada para o sítio Santa Bárbara com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas. Tudo feito de forma oficial e registrada"; o texto afirma ainda que "mais uma vez a privacidade da família do ex-presidente foi violentada, na tentativa sistemática de associá-lo a processos em que ele não é investigado nem sequer nomeado"
Nota foi divulgada em resposta a mais uma denúncia contra o ex-presidente neste fim de semana; desta vez, a revista Veja acusa Lula de enviar pertences seus e de sua família para o sítio que frequentava em Atibaia; segundo o Instituto Lula, "parte dos objetos pessoais" de Lula "foi levada para o sítio Santa Bárbara com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas. Tudo feito de forma oficial e registrada"; o texto afirma ainda que "mais uma vez a privacidade da família do ex-presidente foi violentada, na tentativa sistemática de associá-lo a processos em que ele não é investigado nem sequer nomeado" (Foto: Gisele Federicce)


247 – O Instituto Lula afirmou neste sábado 13, por meio de nota em resposta a uma nova denúncia divulgada contra Lula neste fim de semana, que a família do ex-presidente teve sua privacidade "violentada" mais uma vez.

Desta vez, a revista Veja aponta que o ex-presidente mandou seus pertences e o de seus familiares para o sítio que ele frequentava em Atibaia, interior de São Paulo, conforme "mostram documentos e um testemunho obtidos" pela revista.

A nota esclarece para onde foram enviados os pertences de Lula quando ele deixou o cargo de presidente da República e sustenta que o petista fez tudo conforme determina a lei. De acordo com a nota, "parte dos objetos pessoais" de Lula "foi levada para o sítio Santa Bárbara com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas. Tudo feito de forma oficial e registrada".

O instituto afirma ainda que "mais uma vez a privacidade da família do ex-presidente foi violentada, na tentativa sistemática de associá-lo a processos em que ele não é investigado nem sequer nomeado". E que "o referido noticiário é apenas um capítulo a mais da ruidosa guerra que os grandes meios de comunicação movem contra o ex-presidente desde 2002". 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia a íntegra:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Privacidade da família de Lula é violada mais uma vez

A propósito de notícias requentadas pela revista Veja deste final de semana, o Instituto Lula esclarece:

1) A legislação brasileira (Lei 8.394/91 e Decreto 4.344/2002) determina que os ex-presidentes são responsáveis pela guarda e preservação do acervo que acumularam no exercício do cargo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2) O artigo 3o. do Decreto 4.344/02 define: "Os acervos documentais privados dos presidentes da República são os conjuntos de documentos, em qualquer suporte, de natureza arquivística, bibliográfica e museológica, produzidos sob as formas textual (manuscrita, datilografada ou impressa), eletromagnética, fotográfica, filmográfica, videográfica, cartográfica, sonora, iconográfica, de livros e periódicos, de obras de arte e de objetos tridimensionais."

3) Ao final de seu governo, a Presidência da República providenciou triagem e entrega do acervo documental privado do ex-presidente Lula, da mesma forma como procedeu com seus antecessores, nos termos da lei 8.394/91 e do decreto 4.344/2002.

4) Parte deste acervo está em processo de catalogação e tratamento para cumprir a legislação, em projetos coordenados pelo Instituto Lula, a exemplo do que é feito com o acervo privado de outros ex-presidentes brasileiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

5) Parte dos objetos pessoais do ex-presidente Lula foi levada para o apartamento de São Bernardo, onde ele já residia antes de ser eleito e continua residindo. E parte foi levada para o sítio Santa Bárbara, em Atibaia, com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas. Tudo feito de forma oficial e registrada.

6) Mais uma vez a privacidade da família do ex-presidente foi violentada, na tentativa sistemática de associá-lo a processos em que ele não é investigado nem sequer nomeado. O referido noticiário é apenas um capítulo a mais da ruidosa guerra que os grandes meios de comunicação movem contra o ex-presidente desde 2002. Lula sempre agiu dentro da lei e a favor do Brasil, antes, durante e depois de ser presidente da República.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email