Irritado com críticas, Temer pressiona PMDB a enquadrar Renan

Michel Temer partiu para o tudo ou nada para enquadrar o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB, que tem criticado sistematicamente o correligionário e se posicionado contra as reformas trabalhista e previdenciária; em reunião com o ex-presidente José Sarney e com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), Temer disse que a crise com Renan deve ser resolvida até esta terça; caso as críticas persistam, ele deverá demitir os aliados do senador que ocupam cargos no governo federal; Renan diz que não vai cair

Renan Calheiros e Michel Temer
Renan Calheiros e Michel Temer (Foto: Paulo Emílio)

247 - Acuado por denúncias que o atingem diretamente e tentando manter o PMDB sob controle, Michel Temer partiu para o tudo ou nada para enquadrar o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB, que tem criticado sistematicamente o correligionário e se posicionado contra as reformas trabalhista e previdenciária, segundo reportagem do jornal O Globo.

Durante reunião com o ex-presidente José Sarney e com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), Temer disse que a crise com Renan deve ser resolvida até esta terça-feira 30. Caso as críticas persistam, ele deverá demitir os aliados do senador que ocupam cargos no governo federal.

Renan, que diz que irá fazer um pronunciamento agradecendo a Temer pela ajuda a Alagoas em decorrência das fortes chuvas que atingiram o Estado, disse a interlocutores que não deverá deixar a liderança do PMDB no Senado. "Nessa crise, um dia após o outro é uma eternidade. Eu não vou cair. Farei um pronunciamento e, lá no final, vou agradecer a ele (Temer) por ter ido a Alagoas", disse Renan ao jornal.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247