Janot sobre Dilma: Não há pessoa fora de investigação

Em Berna, na Suíça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quinta-feira, 17, que ninguém é imune a investigações; ao ser questionado sobre a possibilidade de pedir a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff por causa das suspeitas de tentar obstruir as investigações da Lava Jato, disse: "Nosso trabalho é republicano. Não há pessoa fora de investigação"

Em Berna, na Suíça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quinta-feira, 17, que ninguém é imune a investigações; ao ser questionado sobre a possibilidade de pedir a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff por causa das suspeitas de tentar obstruir as investigações da Lava Jato, disse: "Nosso trabalho é republicano. Não há pessoa fora de investigação"
Em Berna, na Suíça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quinta-feira, 17, que ninguém é imune a investigações; ao ser questionado sobre a possibilidade de pedir a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff por causa das suspeitas de tentar obstruir as investigações da Lava Jato, disse: "Nosso trabalho é republicano. Não há pessoa fora de investigação" (Foto: Roberta Namour)

247 - Em Berna, na Suíça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quinta-feira, 17, que ninguém é imune a investigações.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de pedir a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff por causa das suspeitas de tentar obstruir as investigações da Lava Jato, disse: "Nosso trabalho é republicano. Não há pessoa fora de investigação".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247