Josias: para livrar Temer, TSE cogita tirar dados da Odebrecht

Em seu blog no UOL, jornalista diz que há propensão de alguns ministros no TSE em não considerar as delações da Odebrecht no julgamento da chapa Dilma-Temer, uma manobra sugerida pela defesa de Temer como última medida para salvar o mandato do peemedebista; para o jornalista, se o TSE acatar a tese dos advogados de Temer, "irá jogar fora tudo o que antes era considerado prova"

dilma temer
dilma temer (Foto: Charles Nisz)

247 - Segundo o jornalista Josias de Souza, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cogita descartar as informações da delação da Odebrecht, de forma a salvar Michel Temer no julgamento que pede a cassação da chapa vitoriosa das eleições de 2014.

"Às vésperas do julgamento sobre a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, ministros do Tribunal Superior Eleitoral passaram a cogitar a hipótese de excluir do processo todas as informações relacionadas às doações ilegais da Odebrecht. A manobra jogaria no lixo investigação realizada pela corregedoria do tribunal, enfraquecendo a acusação. Em consequência, os magistrados que resistem à ideia de interromper o mandato de Temer ganhariam um pretexto adicional para poupar Temer de um castigo mais draconiano", diz Josias em seu blog no UOL.

"De acordo com a defesa de Temer, ao incluir as delações da Odebrecht e os depoimentos do casal João Santana e Mônica Moura, marqueteiros de campanha da chapa Dilma-Temer, TSE teria cometido um pecado chamado tecnicamente de 'extrapolação do objeto'. Quer dizer: o tribunal teria injetado no processo acusações que não constavam das ações originais, movidas pelo PSDB de Aécio Neves, candidato derrotado nas eleições de 2014", diz ainda.

Segundo o colunista, há ministros do TSE que "se revelam nos subterrâneos propensos a engolir a tese". Para ele, se o TSE acatar a tese dos advogados de Temer, "irá jogar fora tudo o que antes era considerado prova".

Ao vivo na TV 247 Youtube 247