Juiz suspende cobrança de R$ 2,8 milhões de Dallagnol por 'farra das diárias' na Lava Jato

O valor se refere a passagens, diárias e outros gastos de servidores que atuaram na força-tarefa da Lava Jato em Curitiba

www.brasil247.com - Deltan Dallagnol
Deltan Dallagnol (Foto: Reprodução)


CartaCapital - A Justiça Federal de Curitiba suspendeu um processo instaurado pelo Tribunal de Contas da União que cobrava do ex-procurador Deltan Dallagnol e de outros integrantes da Lava Jato a restituição de 2,8 milhões de reais pagos em diárias, viagens e outros custos da operação.

>>> Após Moro virar réu, Dallagnol se desespera com cobrança de quase R$ 3 milhões do TCU (vídeo)

Para o juiz Augusto César Pansini Gonçalves, substituto da 6ª Vara Federal da capital paranaense, a Tomada de Contas Especial -- processo por meio do qual o TCU investiga Dallagnol -- é “ilegal”.

Gonçalves aponta, por exemplo, que Deltan não teria exercido papel “como ordenador de despesas e nem sequer arquitetou o modelo de pagamento das diárias e passagens”.

Leia a íntegra na CartaCapital

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247