Justiça decide que delação não é prova e arquiva investigação sobre Mercadante e Edinho Silva

Justiça Eleitoral de São Paulo pediu o arquivamento de uma denúncia de caixa dois contra os ex-ministros. A decisão do promotor teve como base o argumento de que a delação premiada de um ex-diretor da Odebrecht por si só não é prova suficiente no processo

www.brasil247.com - Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participa do 1º Encontro Nacional dos Fóruns Permanentes de Educação, com o tema Direito à educação para sociedade democrática (JoséCruz/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participa do 1º Encontro Nacional dos Fóruns Permanentes de Educação, com o tema Direito à educação para sociedade democrática (JoséCruz/Agência Brasil)


247 - A Justiça Eleitoral de São Paulo arquivou uma denúncia de caixa dois contra os ex-ministros do PT Aloizio Mercadante e Edinho Silva.

A decisão do promotor eleitoral teve como base o argumento de que a delação premiada de um ex-diretor da Odebrecht por si só não é prova suficiente.

Os fatos relatados pelos delatores Benedito Júnior e Carlos Armando Paschoal estavam relacionados à campanha de Mercadante ao governo de São Paulo, em 2010, quando Edinho, atual prefeito de Araraquara (SP), era presidente do PT paulista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo disseram os executivos, houve pagamento de R$ 1 milhão para a campanha via caixa dois. O promotor, no entanto, destacou que os fatos narrados não foram confirmados ao longo do processo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Observa-se que os fatos narrados pelos colaboradores não foram confirmados por outras pessoas ou documentos, remanescendo somente as suas versões dos fatos”, escreveu o promotor Flávio Turessi.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O advogado Pierpaolo Bottini afirmou que o arquivamento era necessário, “uma vez que o próprio Supremo Tribunal Federal entende que a mera palavra do delator não é suficiente para a instauração de ação penal”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email