Leonardo Boff ao 247: "Dilma é a melhor opção"

Líder religioso, intelectual e militante social, Leonardo Boff acredita que "nenhum governo fez políticas públicas cuja centralidade era o povo marginalizado, os invisíveis", como fizeram o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff; sobre Marina Silva, que já foi sua aluna, no Acre, comenta que a candidata do PSB se transformou "numa fundamentalista com a mentalidade de alguns líderes muçulmanos" e que não possui habilidade de articulação; "Se vencer, oxalá não tenha o mesmo destino político que teve Collor de Mello", prevê; em entrevista ao blog do jornalista Paulo Moreira Leite, Boff diz que candidatura da ex-senadora "representa uma volta ao velho e ao atrasado da política"

Líder religioso, intelectual e militante social, Leonardo Boff acredita que "nenhum governo fez políticas públicas cuja centralidade era o povo marginalizado, os invisíveis", como fizeram o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff; sobre Marina Silva, que já foi sua aluna, no Acre, comenta que a candidata do PSB se transformou "numa fundamentalista com a mentalidade de alguns líderes muçulmanos" e que não possui habilidade de articulação; "Se vencer, oxalá não tenha o mesmo destino político que teve Collor de Mello", prevê; em entrevista ao blog do jornalista Paulo Moreira Leite, Boff diz que candidatura da ex-senadora "representa uma volta ao velho e ao atrasado da política"
Líder religioso, intelectual e militante social, Leonardo Boff acredita que "nenhum governo fez políticas públicas cuja centralidade era o povo marginalizado, os invisíveis", como fizeram o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff; sobre Marina Silva, que já foi sua aluna, no Acre, comenta que a candidata do PSB se transformou "numa fundamentalista com a mentalidade de alguns líderes muçulmanos" e que não possui habilidade de articulação; "Se vencer, oxalá não tenha o mesmo destino político que teve Collor de Mello", prevê; em entrevista ao blog do jornalista Paulo Moreira Leite, Boff diz que candidatura da ex-senadora "representa uma volta ao velho e ao atrasado da política" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Líder religioso, intelectual e militante de causas sociais, Leonardo Boff acredita que a presidente Dilma Rousseff (PT) "é a melhor opção para o povo brasileiro". Ao explicar sua resposta, ele afirma que "os fatos falam por si". "Até hoje nenhum governo fez políticas públicas cuja centralidade era o povo marginalizado, os invisíveis, considerados óleo gasto e zeros econômicos", avalia. Quem fez isso com sucesso deve poder continuar a fazê-lo e de forma mais profunda e abrangente", acrescenta Boff.

Em entrevista concedida ao jornalista Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247, ele constata haver "um mal estar generalizado no mundo". "Todos têm a sensação de que assim como o mundo está não pode continuar. Tem que haver mudanças", ressalta, reforçando o que diz as pesquisas, segundo as quais mais de 70% da população desejam mudanças no País, e justificando a causa das manifestações de junho, de que o brasileiro quer mais do que já consegue hoje.

"Há ainda um fator novo: as políticas públicas do PT que tiraram 36 milhões da pobreza foram incorporadas como coisa natural, um direito do cidadão. Ora, o cidadão não tem apenas fome de pão, de casa, de luz elétrica. Tem outras fomes: de ensino, de cultura, de transporte minimamente digno, de saúde razoável e de lazer. A falta de tais coisas suscita uma insatisfação generalizada que faz com que esta eleição de 2014 seja diferente de todas as anteriores e a mais difícil para o PT. Precisamos de mudança. Mas dentre os partidos que podem fazer mudanças na linha do povo, apenas vejo o PT, desde que consolide o que fez e avance e aprofunde as mudanças novas atendendo as demandas da rua. Dilma é ainda a melhor para o povo brasileiro".

Questionado a avaliar a mudança de Marina Silva desde que a conheceu, no Acre, quando foi sua aluna, até 2014, quando se candidata à Presidência da República pelo PSB, Boff observa, como primeiro ponto, a mudança de religião. "De um cristianismo de libertação, ligado aos povos da floresta e aos pobres, passou para um cristianismo pietista e fundamentalista que tira o vigor do engajamento e se basta com orações e leituras literalistas da Bíblia".

Para Boff, a candidatura da ex-senadora "representa uma volta ao velho e ao atrasado da política, ligada aos bancos e ao sistema financeiro. Seu discurso de sustentabilidade se tornou apenas retórico". Em sua visão, Marina não possui a habilidade de articulação. "Se vencer, oxalá não tenha o mesmo destino político que teve Collor de Mello", prevê. Na entrevista, ele comenta ainda sobre o pessimismo generalizado no País - "grande parte induzido por aqueles que querem a todo custo e por todos os meios tirar o PT do poder" - e dá sua opinião sobre a mídia: "hoje, com a oposição fraca, eles se constituíram a grande oposição ao governo do PT".

Leia a íntegra da entrevista em Boff: "Fatos falam por si. Dilma é a melhor opção para o povo brasileiro"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247