Líder do PMDB 'lava as mãos' no apoio a Novais

"O PMDB vai apoiar a deciso de Novais, qualquer que seja ela", disse Henrique Alves ao 247



Evam Sena_247, em Brasília - Nas palavras do líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), padrinho político de Pedro Novais no Ministério do Turismo, o apoio do partido a ele foi retirado. Acabou. A situação do ministro se complicou depois de denúncia da Folha de S. Paulo de que sua mulher utiliza funcionário da Câmara como chofer. O funcionário é lotado no gabinete do deputado Chiquinho Escórcio (PMDB-MA), aliado de Novais, mas nem aparece na Câmara.

"O PMDB vai apoiar a decisão de Novais, qualquer que seja ela, para que ele se sinta confortável", disse Eduardo Alves, antes de fazer reunião com Novais para acertar os termos da carta de demissão. Com a perda de apoio do PMDB ao ministro, e com a ameaça à liderança de Alves, seu avalista, a permanência de Novais ficou insustentável.

O Palácio do Planalto espera para hoje a saída, a pedido. Se não comemora, a presidente Dilma Rousseff avalia como a melhor saída perder um ministro que considerou “ineficiente” e “inadequado”, sem o ônus de ter que demiti-lo e comprar briga com seu maior e mais ameaçador partido aliado.

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247