Lula: ‘Bolsonaro acha que o dinheiro vai comprar voto, mas esse genocida vai cair fora da governança’

"Ele acha que o povo é gado", disse o ex-presidente, que também prometeu incentivos à agricultura familiar, mais emprego, aumento de salário e retomada de direitos sociais

www.brasil247.com - Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Teresina
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Teresina (Foto: Ricardo Stuckert | Reprodução)


247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quarta-feira (3), em Teresina (PI), criticou a iniciativa do governo Jair Bolsonaro (PL) de fazer uma mudança na Constituição para distribuir benefícios a pessoas mais pobres em ano eleitoral. 

"Bolsonaro faz mudança na Constituição distribuindo quarenta bilhões de reais até dezembro. Ele acha que o povo é gado. Coloque o dinheiro na nossa conta que vamos comprar o que comer, o que vestir. Ele pensa que o dinheiro vai comprar voto. No dia dois de outubro temos que dar uma banana para Bolsonaro para que ele saiba que vai cair fora da governança", disse Lula. 

"Ele não tem respeito pelo povo, diz que a urna não é honesta. Vocês não podem acreditar na fanfarrice dele. Estou preparado para recuperar este País. Vamos fazer universidades, escolas técnicas, aprimorando a qualidade profissional do povo trabalhador. O país hoje não merece o respeito de ninguém. Ninguém quer vir aqui", acrescentou. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A PEC eleitoreira aumenta o valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600, prevê um reajuste do vale-gás, com um botijão a cada dois meses para 5 milhões de famílias, e uma ajuda de R$ 1.000 para caminhoneiros autônomos e voucher para taxistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o ex-presidente, "um genocida que não derramou uma lágrima por quase 700 mil que morreram (da Covid), que não se preocupa em conversa com sindicato, quilombola, indígena, que quer desmatar a Amazônia, a Caatinga, o Cerrado, não pode se apoderar da bandeira brasileira porque ela é do povo". "Não se preocupem com os meus setenta e seis anos de idade. As pessoas envelhecem quando não têm uma causa", disse.

"A minha causa é provar ao mundo e à elite brasileira que o povo vai comer três vezes ao dia, que vai trabalhar, ter aumento de salário, levar uma vida digna que está na Constituição, na Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, na Bíblia. Neste país não vai mais morrer criança de desnutrição. Geramos 22 milhões de empregos, conseguimos provar que a agricultura familiar e o pequeno produtor dão conta de sustentar o País quando tem financiamento para melhorar sua capacidade produtiva, vamos fazer assentamento de reforma agrária, fazendo financiamento do pequeno produtor. As prefeituras vão comprar 30% da merenda escolar dos agricultores", continuou. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em seu pronunciamento, Lula afirmou que o "Brasil está pior" do que em 2003, quando o petista assumiu a Presidência da República. "Mais desemprego, mais inflação, taxa de juros alta, gás de cozinha mais caro, arroz mais caro, a carne desapareceu da mesa do trabalhador e o País está desgovernado. Bolsonaro não está preparado para governar este País", complementou. 

"A gente vai parar com a venda de armas e vamos distribuir livros, vamos construir escolas ao invés de construir cadeias, vamos dar comida ao invés de cavar cova para cemitério como cavaram por conta da covid. Quero que o pobre tenha tudo aqui que ele produz. Temos que dizer ‘quero o melhor para o meu filho, para a minha casa’. Cadê a Casa Verde e Amarela? Vamos fazer o Minha Casa Minha Vida outra vez. Vamos criar oportunidades de emprego. Vamos voltar a conquistar a respeitabilidade no mundo, Queremos respeito dos americanos, do chines, dos europeus, da Rússia… Lula não está fazendo isso Quero que o pobre deixe de ser pobre. Ou acham que a gente faz opção pela miséria?". 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email