Lula pede ao STF suspensão de julgamento do caso do triplex marcado para esta terça

Advogados do ex-presidente Lula acionou o STF para suspender o julgamento do caso do triplex em Guarujá (SP) que corre no STJ. A defesa quer, primeiramente, que o Supremo decida sobre um pedido para acessar três acordos assinados entre a Petrobrás e os EUA no âmbito da Lava Jato

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o julgamento do caso do triplex em Guarujá (SP) que corre no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O relator do caso no STJ, Felix Fischer, pautou para terça-feira (27) a análise do recurso pela Quinta Turma do tribunal. Amanhã também é o aniversário de 75 anos de Lula.

De acordo com informações publicadas pela coluna de Bela Megale, a defesa pediu ao ministro do STF Edson Fachin que determine a paralização do julgamento no STJ até o Supremo decidir sobre um pedido do ex-presidente para acessar três acordos assinados entre a Petrobrás e os Estados Unidos no âmbito da Operação Lava Jato. 

A estatal teria tido posição antagônica à que apresentou na justiça brasileira, afirmou a defesa de Lula. Advogados também entendem que a Petrobrás assumiu sua culpa em crimes e não colocou o ex-presidente como líder da organização criminosa.

Para não compartilhar os acordos, a Petrobrás pediu ao STF para ter um tratamento parecido com o das embaixadas estrangeiras localizadas no Brasil, imunes a decisões proferidas pelo poder Judiciário.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247