Lula se lança a 2018 contra 'salvadores da pátria'

No aniversário de 35 anos do partido, ex-presidente Lula avisou a mais de um chefe do PT: é candidato a presidente em 2018; estratégia está pronta; "Ele ficará uma temporada nos diferentes Estados", adiantou o governador Wellington Dias (PI); o primeiro mote político foi dado pelo governador Jorge Vianna (AC): "O país atolado numa crise é terreno fértil para 'salvadores da pátria'", disse; em discurso, Lula pediu "humildade e coragem" aos militantes; ele quer reerguer o PT

No aniversário de 35 anos do partido, ex-presidente Lula avisou a mais de um chefe do PT: é candidato a presidente em 2018; estratégia está pronta; "Ele ficará uma temporada nos diferentes Estados", adiantou o governador Wellington Dias (PI); o primeiro mote político foi dado pelo governador Jorge Vianna (AC): "O país atolado numa crise é terreno fértil para 'salvadores da pátria'", disse; em discurso, Lula pediu "humildade e coragem" aos militantes; ele quer reerguer o PT
No aniversário de 35 anos do partido, ex-presidente Lula avisou a mais de um chefe do PT: é candidato a presidente em 2018; estratégia está pronta; "Ele ficará uma temporada nos diferentes Estados", adiantou o governador Wellington Dias (PI); o primeiro mote político foi dado pelo governador Jorge Vianna (AC): "O país atolado numa crise é terreno fértil para 'salvadores da pátria'", disse; em discurso, Lula pediu "humildade e coragem" aos militantes; ele quer reerguer o PT (Foto: Marco Damiani)

247 – O ex-presidente Lula é candidato a presidente em 2018.  Ele deu sinal verde a diferentes caciques do PT, no aniversário de 35 anos da legenda, em Belo Horizonte, para começarem a organizar os preparativos para viagens dele pelo Brasil. Desta vez, numa adaptação da estratégia das caravanas da cidadania, Lula pretende ficar mais tempo nos Estados. "Uma forma de ele conviver com mais profundidade com a população e seus problemas", afirmou o governador Wellington Dias (PT-PI), um dos primeiros a serem comunicados por Lula de que intenciona concorrer em 2018.

O governador do Acre, Jorge Vianna, foi outro a quem o ex-presidente procurou para conseguir o apoio inicial à nascente campanha presidencial. "O país está atolado numa crise, e esse ambiente é propício para o surgimento de salvadores da pátria, corruptores e corruptíveis", disse Vianna, dando um dos motes para a volta de Lula aos palanques. "Esse modelo de governo esgotou o prazo de validade".

Lula avisou que pretende empolgar a militância do PT em seu novo périplo pelo país, ainda sem data para começar. O certo é que ele não quer que se abra um vácuo para a sucessão da presidente Dilma Rousseff. Lançando seu próprio nome, Lula acredita estar contribuindo para a estabilidade institucional, uma vez que o fato criado pelo lançamento de seu nome pode inibir apetites que já se abrem pelo impeachment de Dilma.

Para dentro do PT, o movimento de Lula funciona, na prática, como uma barragem para outras candidaturas. No mínimo, a partir de agora, quem pensar em organizar a própria campanha saberá que estará trombando com o maior líder da legenda.

O estímulo de Lula a seus correligionários surgiu no mesmo momento em que pesquisa Datafolha apurou que 56% do público considera Lula como "o melhor presidente da história". Ele conta com o recall positivo para sair na frente dos adversários que se apresentarem.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247