Lula será indicado ao Prêmio Nobel da Paz

A decisão foi anunciada pelo argentino Adolfo Perez Esquivel, que venceu o Prêmio em 1980 e fará a indicação à Academia Sueca; “A chegada do PT e Lula à presidência marcou 1 antes e 1 depois para o Brasil, a ponto de se tornar uma referência internacional na luta contra a pobreza. Mais de 30 milhões de pessoas foram resgatadas da pobreza extrema (um país inteiro), a desigualdade diminuiu e o índice de desenvolvimento humano aumentou”, disse ele, em sua página pessoal; reconhecido no mundo como um dos maiores estadistas de sua época, Lula vem sendo caçado pelo Poder Judiciário brasileiro para que não possa disputar as eleições presidenciais de 2018 – o que também fere o desejo da maioria da população brasileira, que deseja sua candidatura

Lula e Esquivel
Lula e Esquivel (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será indicado ao Prêmio Nobel da Paz de 2018. A decisão foi anunciada pelo argentino Adolfo Perez Esquivel, que venceu o Prêmio em 1980 e fará a indicação à Academia Sueca, segundo revelou o site Poder 360.

“A chegada do PT e Lula à presidência marcou 1 antes e 1 depois para o Brasil, a ponto de se tornar uma referência internacional na luta contra a pobreza. Mais de 30 milhões de pessoas foram resgatadas da pobreza extrema (um país inteiro), a desigualdade diminuiu e o índice de desenvolvimento humano aumentou”, disse Esquivel, em sua página pessoal,

Reconhecido no mundo como um dos maiores estadistas de sua época, Lula vem sendo caçado pelo Poder Judiciário brasileiro para que não possa disputar as eleições presidenciais de 2018 – o que também fere os desejos da maioria da população brasileira, que deseja sua candidatura (leia aqui sobre pesquisa Vox).

O argentino recebeu o Nobel da Paz em reconhecimento à luta pela não-violência em prol da democracia na América Latina.

Leia ainda a entrevista em que Esquivel afirma que o Brasil foi vítima de um golpe branco liderado pelos Estados Unidos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247