Maia diz que "pedaladas" de Dilma eram mais graves que acusações contra Bolsonaro e não vê razão para impeachment

Em entrevista ao Roda Viva, o presidente da Câmara disse que não aceita ser pressionado a abrir um processo de impeachment e afirmou que a farsa contra Dilma Rousseff foi mais grave do que as acusações de crime de responsabilidade contra Jair Bolsonaro

(Foto: Reprodução/Youtube)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que está no centro do programa Roda Viva, da TV Cultura, acaba de cunhar uma frase que vai entrar para a história dos grandes absurdos da política brasileira.

Depois de dizer, em resposta ao repórter Bernardo Mello Franco que não aceitaria ser pressionado para abrir processo de impeachment contra Bolsonaro, foi questionado pelo repórter Ranier Bragon se as “pedaladas fiscais” da Dilma eram mais graves que os crimes atribuídos ao atual presidente nos 50 pedidos de impeachment que lotam suas gavetas.

“Claro que sim” disse Maia, sem vacilar, “tanto que eu votei pelo impeachment”.

Quanto a Bolsonaro, foi taxativo: "Não há motivos para o impeachment". Mais: "“Por parte do presidente não vejo crime de responsabilidade. Não vejo motivações pro um processo de impeachment". 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247