Maia vai lançar agenda própria já no dia seguinte à votação da denúncia

Rodrigo Maia vai se aproveitar da fragilidade política o governo de Michel Temer já no dia seguinte à votação da segunda denúncia de PGR contra o peemedebista; a provável perda de apoio do governo, apesar dos bilhões de reais investidos na compra de voto, deve ser usada pelo presidente da Câmara para ganhar terreno e impor uma agenda própria no Legislativo, focando sobretudo matérias econômicas articuladas pessoalmente por ele e projetos de maior apelo popular, principalmente nas áreas da segurança pública e saúde; a intenção do parlamentar, segundo aliados, é buscar mais protagonismo no cenário nacional no momento em que Temer sai enfraquecido após gastar seu capital político para barrar as denúncias das quais é alvo

rodrigo maia
michel temer
 
rodrigo maia michel temer   (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prepara uma agenda própria da Casa para apresentar no dia seguinte ao da votação da segunda denúncia contra Michel Temer, marcada para esta quarta, 25. A pauta deve ter matérias econômicas articuladas pessoalmente por ele e projetos de maior apelo popular, principalmente nas áreas da segurança pública e saúde.

A intenção do parlamentar, segundo aliados, é buscar mais protagonismo no cenário nacional no momento em que Temer sai enfraquecido após gastar seu capital político para barrar as denúncias das quais é alvo.

Nesta terça-feira, 24, na véspera da votação, Temer recebeu vários deputados para garantir apoio. Um deles foi Maia, de quem quis saber como estava o clima na Câmara. À noite, o presidente foi a jantar no apartamento do vice-presidente da Câmara, Fabio Ramalho (PMDB-MG).

Ao sair da conversa reservada com Temer, Maia disse que, da sua parte, não há problema com o governo, mas ressaltou: “Em política não tem amiguinho. Muito menos para sempre”. A declaração ocorre após episódios de tensão com o Planalto. “Que ato concreto eu fiz contra o governo? Quando a denúncia chegou aqui, queriam dividir e eu fui o primeiro a dizer que não tinha divisão”, afirmou o deputado, ao ser questionado se o mal-estar havia acabado.

Para deputados próximos, é Maia quem tem condições, no momento, de conduzir a agenda de que o País necessita. “O Rodrigo tem uma boa relação com todos os partidos, da base e da oposição. Enfim, tem condições de construir essa agenda”, disse o deputado Pauderney Avelino (DEM-AM).

As informações são de reportagem de Igor Gadelha e Valéria Rosa e no Estado de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247