Mais um apoiador do impeachment se torna réu no STF

Deputado Nelson Meurer (PP-PR) teria recebido R$ 29,7 milhões entre 2006 e 2014 em 99 pagamentos de R$ 300 mil por mês em esquema organizado com o ex-deputado federal José Janene (PP-SP) e os delatores Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras; seus dois filhos, Nelson e Cristiano, também viraram réus na Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Deputado Nelson Meurer (PP-PR) teria recebido R$ 29,7 milhões entre 2006 e 2014 em 99 pagamentos de R$ 300 mil por mês em esquema organizado com o ex-deputado federal José Janene (PP-SP) e os delatores Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras; seus dois filhos, Nelson e Cristiano, também viraram réus na Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Deputado Nelson Meurer (PP-PR) teria recebido R$ 29,7 milhões entre 2006 e 2014 em 99 pagamentos de R$ 300 mil por mês em esquema organizado com o ex-deputado federal José Janene (PP-SP) e os delatores Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras; seus dois filhos, Nelson e Cristiano, também viraram réus na Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Nelson Meurer (PP-PR), um dos apoiadores do golpe contra Dilma Rousseff, e seus dois filhos, Nelson e Cristiano, viraram réus na Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por supostamente terem desviado dinheiro da Petrobras.

Segundo reportagem de Leticia Casado, Meurer teria recebido R$ 29,7 milhões entre 2006 e 2014 em 99 pagamentos de R$ 300 mil por mês em esquema organizado com o ex-deputado federal José Janene (PP-SP) e os delatores Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. A Lava Jato suspeita que o grupo tenha articulado o desvio de R$ 358 milhões da Petrobras para o PP.

O deputado teria ainda recebido R$ 4 milhões de Carlos Alexandre Rocha, o Ceará, que trabalhava com Youssef. Os filhos de Meurer teriam recebido dinheiro de Rafael Angulo, também delator que trabalhava com Youssef – leia aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247