Mais um escândalo: Temer exonera ministros para salvá-lo na Câmara

Com medo de não conseguir os votos necessários para se salvar da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça na Câmara, Michel Temer exonerou nesta quarta-feira, 18, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) para que assumam temporariamente os mandatos na Câmara e votem a favor de Temer; na avaliação de parlamentares da oposição, essa é mais uma manobra de Michel Temer para garantir votos a favor dele, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

Com medo de não conseguir os votos necessários para se salvar da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça na Câmara, Michel Temer exonerou nesta quarta-feira, 18, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) para que assumam temporariamente os mandatos na Câmara e votem a favor de Temer; na avaliação de parlamentares da oposição, essa é mais uma manobra de Michel Temer para garantir votos a favor dele, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)
Com medo de não conseguir os votos necessários para se salvar da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça na Câmara, Michel Temer exonerou nesta quarta-feira, 18, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) para que assumam temporariamente os mandatos na Câmara e votem a favor de Temer; na avaliação de parlamentares da oposição, essa é mais uma manobra de Michel Temer para garantir votos a favor dele, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) (Foto: Aquiles Lins)

247 - Com medo de não conseguir os votos necessários para se salvar da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça na Câmara, Michel Temer exonerou nesta quarta-feira, 18, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) para que assumam temporariamente os mandatos na Câmara e votem a favor de Temer.

De acordo com o Planalto, os dois voltaram ao parlamento para a apresentação de emendas. No entanto, os exonerados são os deputados Severino Ninho e Creuza Pereira, ambos do PSB pernambucano e críticos do governo. Na avaliação de parlamentares da oposição, essa é mais uma manobra de Michel Temer para garantir votos a favor dele, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

A manobra feita antes da votação da segunda denuncia contra Temer pode interferir nos planos do PSB, que está dividido sobre o prosseguimento ou não da denúncia, na Casa.

Para reagir à decisão de Temer, durante a tarde desta quarta-feira (18), o PSB destituiu a deputada Tereza Cristina (PSB -MS) da presidência da bancada e no lugar dela, assumiu o deputado Júlio Delgado (PSB-MG). A substituição deve ser mantida pelo menos até o fim da segunda denúncia contra o presidente da República. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247