Manuela em debate das vices: Haddad vai unir e pacificar o País

"Além de ser o portador do nosso projeto, que é o de retomada do desenvolvimento e dos direitos, ele é um homem que sabe ouvir, que tem capacidade de unir e de pacificar o país com base neste projeto", afirmou a vice na chapa presidencial do PT, Manuela D'Ávila (PCdoB), em debate promovido por Folha/UOl/SBT;  "O Brasil não pode ser presidido por alguém que acha que alguma de nós (mulheres) merece ser estuprada", disse ela, em referência a Jair Bolsonaro (PSL)

Manuela em debate das vices: Haddad vai unir e pacificar o País
Manuela em debate das vices: Haddad vai unir e pacificar o País (Foto: Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A vice na chapa presidencial do PT, Manuela D'Ávila (PCdoB), afirmou em debate com as demais candidatas a vice-presidente que Fernando Haddad "é o homem certo para governar o País". "Além de ser o portador do nosso projeto, que é o de retomada do desenvolvimento e dos direitos, ele é um homem que sabe ouvir, que tem capacidade de unir e de pacificar o país com base neste projeto", disse ela, no debate entre os vices, promovido por Folha/UOl/SBT.

Além de Manuela, participaram do debate as candidatas Ana Amélia, vice de Alckmin, e Kátia Abreu, vice de Ciro, que se aliaram para atacar a chapa PT-PC do B. Os candidatos a vice de Bolsonaro (general Hamilton Mourão) e de Marina (Eduardo Jorge) não compareceram. Sônia Guajajara, do PSOL, não foi convidada.

Segundo Manuela, "existem governos que combatem a corrupção, e outros que a colocam para debaixo do tapete". "Os 13 anos de governo Lula/Dilma foram os que mais criaram mecanismos de combate à corrupção", afirmou. 

"Duas grandes disputas se darão: a primeira é se tomaremos ou não o rumo da democracia, a segunda é saber se manteremos os direitos do povo, como o 13º salário. é o fim da democracia e dos direitos", acrescentou. "O Brasil não pode ser presidido por alguém que acha que alguma de nós (mulheres) merece ser estuprada", disse.

Em 2014, Bolsonaro disse que não estupraria a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia, após a parlamentar defender vítimas da Ditadura Militar (1964-1985).

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247