Marcio Lacerda dá sinais de que quer voar mais alto

Tmido e com desempenho ruim nas cmeras, h quatro anos o prefeito da capital mineira, Belo Horizonte, era apenas um poste apoiado por Acio (PSDB) e Pimentel (PT). Agora, surge como potencial candidato ao governo do Estado, com um ambicioso plano de reforma de favelas para ser entregue justamente no ano eleitoral de 2014

Marcio Lacerda dá sinais de que quer voar mais alto
Marcio Lacerda dá sinais de que quer voar mais alto (Foto: Divulgação)

Minas 247 - O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), surgiu para a política meio como um outsider. De jeito tímido e meio atrapalhada ao falar para as câmeras, foi logo apelidado de “poste” na eleição de 2008. Muito “analista” dizia que o então secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do governo Aécio Neves só se elegeria devido ao apoio de peso das duas principais lideranças do momento, o próprio Aécio, do PSDB, e o então prefeito Fernando Pimentel, do PT.

O tempo passou, Lacerda, já eleito prefeito da capital mineira, colecionou bons índices de aprovação (mas também de críticas negativas) e, agora, está autorizado a sonhar com voos mais altos. Se confirmar o favoritismo e for reeleito em outubro, já passa a ser automaticamente candidato ao governo mineiro daqui a dois anos. Com o apoio do presidenciável Aécio Neves. Ou de um de seus “padrinhos”, o ministro Fernando Pimentel. Ou, em seu cenário ideal, com o apoio dos dois.

Quem viu a desenvoltura do ex-tímido Marcio Lacerda no 1º de maio, nesta-terça, em Belo Horizonte, sabe que esse panorama não é irreal. Cerca de 30 mil pessoas compareceram à festa promovida pela Força Sindical. Estavam lá mais pelos shows do que pelos comícios, mas ouviram um animado Lacerda discursar. Por pouco tempo, mas o suficiente para dar seu recado. Em um ato dominado por críticas ao governo federal, vindas de lideranças da Força, o prefeito de BH elogiou o governo Dilma e afirmou que o país está no rumo certo.

Há cerca de um mês, ele esteve em São Paulo reunido com aliados da presidenta, a convite de Luiz Inácio Lula da Silva. O objetivo do antecessor de Dilma é ter uma alternativa viável a Aécio Neves no estado - a avaliação é que o senador tucano terá ampla maioria de votos dos mineiros em 2014, e é preciso conter essa perspectiva. Lula teria até escolhido os nomes para o PT apoiar na eleição estadual: Pimentel; o presidente do PSB em Minas, Walfrido dos Mares Guia; e Marcio Lacerda.

O prefeito da capital já tem até sua “plataforma” para apresentar aos mineiros em 2014. A prefeitura apresentou um ambicioso plano de urbanização e de favelas na cidade, que inclui construção de unidades habitacionais. O programa vai atender 11 comunidades de BH e receberá pelo menos R$ 130 milhões de investimento. A previsão para entrega do resultado das obras é o início de… 2014 - ano das eleições para o Palácio Tiradentes. No cômputo geral, a Prefeitura de BH deverá investir quase R$ 1 bilhão em obras de urbanização da cidade.

Claro que, para o plano der certo, é preciso combinar com os adversários. Em outras palavras, Lacerda terá de ser reeleito. Uma derrota em outubro certamente enterra suas pretensões para voos mais altos. É o favorito e conta com o apoio de um chapão de quase 20 partidos. Mas, nos últimos meses, sua gestão tem sido alvo de críticas. No meio cultural, por exemplo, Lacerda não é bem visto. Na imprensa, eventualmente também tem sido criticado - e o 247 é exemplo disso. Mas o “poste” quer luz própria. Tem em Brasília, em Dilma Rousseff, o exemplo que pode seguir. Conseguirá?

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247