Marcos Coimbra: mulheres evangélicas pobres definiram vitória de Bolsonaro

O presidente da Vox Populi, Marcos Coimbra, afirma que a parcela feminina e evangélica do eleitorado foi quem decidiu a eleição a favor do presidente Jair Bolsonaro e não os antipetistas, que representam apenas 9% da sociedade brasileira; em entrevista à TV 247, ele detalha pesquisas feitas com base em dados da disputa presidencial; assista

Marcos Coimbra: mulheres evangélicas pobres definiram vitória de Bolsonaro
Marcos Coimbra: mulheres evangélicas pobres definiram vitória de Bolsonaro

247 - O presidente do instituto Vox Populi, empresa especializada em pesquisas de opinião e mercado, Marcos Coimbra, apresentou um estudo sobre a vitória do presidente Jair Bolsonaro na eleição de 2018. As pesquisas afirmam que o eleitorado evangélico, especialmente as mulheres, decidiram o pleito favorável a Bolsonaro na última semana das eleições.

Durante a campanha eleitoral, o atual presidente saltou de 21 pontos percentuais para 40, na intenção de voto dentre as mulheres evangélicas, enquanto seu adversário, Fernando Haddad, teve uma ligeira queda de 20 pontos percentuais para 15.

Coimbra explica que esse fenômeno se deve ao fato de ter sido criada uma imagem distorcida de Haddad, por meio de inverdades espalhadas pelo WhatsApp e reverberadas nas mídias convencionais. "Não foi o antipetismo que derrotou o Haddad, e sim o sentimento contra o Haddad em específico. Um sentimento fabricado por meio da construção de uma falsa imagem do candidato do PT, na qual ele foi transformado em um ser inaceitável pelo eleitorado mais religioso, especialmente evangélico e feminino".

Em entrevista, Coimbra também mostrou que o antipetismo não é tão abrangente como parece. "9% dos eleitores que votaram em Bolsonaro afirmam "odiar" o PT. Isso significa que cerca de 90% da sociedade brasileira gosta do PT, ou não tem nenhum sentimento a favor ou contra o partido, ou não gosta do PT bem como pode não gostar de outros partidos". Portanto, esse o antipetismo tem pouca expressão no universo eleitoral.

Marcos Coimbra alerta para que o PT entenda a verdadeira natureza da vitória de Bolsonaro e reaja a isso. "Não se pode sair de um processo político complicado aceitando a versão do vencedor. O vencedor não tem o direito de impor a versão dele".

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247