Ministro da Justiça isenta Bolsonaro em aglomerações e avisa: quem se aproxima é que tem que se cuidar

“É uma covardia misturar a tragédia com política”, disse o ministro da Justiça, Anderson Torres, ao isentar Jair Bolsonaro do não uso de máscara e estímulo de aglomerações. Segundo ele, “quem se aproxima [de Bolsonaro] é que tem que se cuidar" contra a Covid-19

(Foto: Alan Santos/PR | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Isentando Jair Bolsonaro de estimular aglomerações e o não uso de máscara, no momento em que o Brasil atinge 400 mil mortes pela Covid-19, o ministro da Justiça, Anderson Torres, disse que é uma "covardia" envolver discussões sobre a pandemia de Covid-19 no Brasil com questões políticas.

A declaração foi feita à Revista Veja, em entrevista publicada nesta sexta-feira (30). 

"Se o presidente sai sem máscara e se expõe, cabe a quem está ali perto dele se cuidar. É um absurdo o chamarem de genocida. É uma covardia, num momento como este, misturar a tragédia com política", afirmou Torres.

Bolsonaro foi aconselhado nesta quinta-feira (29) a parar de falar para o público dele e a usar máscara, se quiser realmente ganhar a eleição de 2022. Aliados também fizeram um alerta sobre o risco de ele perder a disputa. 

CPI

Torres também saiu em defesa do governo ao dizer que considera inoportuno o momento para o funcionamento da CPI no Senado, que apura justamente as irregularidades da gestão federal no combate à pandemia. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email