Moraes leva ao STF um currículo sob suspeita, diz líder da oposição

"Eu queria expressar aqui a indignação de muitos brasileiros, a indicação do governo ilegítimo de Michel Temer para o STF está sob suspeita. A vida acadêmica brasileira, aqueles constroem o direito, a advocacia brasileira neste momento está indignada. Estamos indignados também porque a sua biografia é uma biografia de atitude seletiva, portanto não terá a menor condição do exercício da magistratura principalmente na suprema casa", discursou o deputado Décio Lima (PT-SC)

"Eu queria expressar aqui a indignação de muitos brasileiros, a indicação do governo ilegítimo de Michel Temer para o STF está sob suspeita. A vida acadêmica brasileira, aqueles constroem o direito, a advocacia brasileira neste momento está indignada. Estamos indignados também porque a sua biografia é uma biografia de atitude seletiva, portanto não terá a menor condição do exercício da magistratura principalmente na suprema casa", discursou o deputado Décio Lima (PT-SC)
"Eu queria expressar aqui a indignação de muitos brasileiros, a indicação do governo ilegítimo de Michel Temer para o STF está sob suspeita. A vida acadêmica brasileira, aqueles constroem o direito, a advocacia brasileira neste momento está indignada. Estamos indignados também porque a sua biografia é uma biografia de atitude seletiva, portanto não terá a menor condição do exercício da magistratura principalmente na suprema casa", discursou o deputado Décio Lima (PT-SC) (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em pronunciamento na Câmara nesta terça-feira 21, o líder da oposição no Congresso, deputado Décio Lima (PT-SC), afirmou que o ministro da Justiça licenciado Alexandre Moraes levará para o STF um currículo sob suspeita do Brasil.

As denúncias de plágios em suas obras acadêmicas, a falta de isenção político partidária, pelo fato de Alexandre Moraes até algumas semanas atrás ser filiado ao PSDB, faz com que o candidato à vaga deixada por Teori Zavascki no Supremo não atinja a exigência de um perfil de notório saber e reputação ilibada, afirmou o deputado.

"Eu queria expressar aqui a indignação de muitos brasileiros, a indicação do governo ilegítimo de Michel Temer para o STF está sob suspeita. A vida acadêmica brasileira, aqueles constroem o direito, a advocacia brasileira neste momento está indignada. Estamos indignados também porque a sua biografia é uma biografia de atitude seletiva, portanto não terá a menor condição do exercício da magistratura principalmente na suprema casa", discursou.

Sendo aprovada a indicação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e no plenário do Senado, Moraes passa a ser o revisor da Lava-Jato no STF, que tem Michel Temer delatado 43 vezes apenas em uma delação.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247