Moro é considerado carta fora do baralho para 2022

O universo político brasileiro avalia consensualmente que a ida de Sergio Moro para a consultoria americana Alvarez & Marsal é a pá de cal no sonho de candidatura presidencial. O ex-juiz não conseguiu deixar uma marca no governo, depois de "surfar" na onda da antipolítica para ser ministro da Justiça. Vaza Jato e o novo emprego macularam ainda mais a imagem dele. É carta fora do baralho, avaliam políticos e analistas

Sergio Moro e fachadas da Odebrecht e OAS
Sergio Moro e fachadas da Odebrecht e OAS (Foto: Alessandro Dantas/PT no Senado | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O universo político brasileiro avalia consensualmente que a ida de Sergio Moro para a consultoria americana Alvarez & Marsal é a pá de cal no sonho de candidatura presidencial. O ex-juiz não conseguiu deixar uma marca no governo, depois de "surfar" na onda da antipolítica para ser ministro da Justiça. Vaza Jato e o novo emprego macularam ainda mais a imagem dele. É carta fora do baralho, avaliam políticos e analistas.

De acordo com um líder do DEM, foi reduzida a margem de manobra do ex-ministro para fazer articulações visando uma eventual postulação. O partido não via com bons olhos as conversas entre Moro, o apresentador Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), mirando 2022.

O integrante do DEM afirmou que a contratação do ex-ministro por uma empresa administradora da quebra da Odebrecht macula ainda mais a imagem dele, segundo informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

PUBLICIDADE

Moro ocupou o ministério da Justiça depois de "surfar" na onda da antipolítica estimulada por setores conservadores. A bandeira da anticorrupção perdeu força ao decorrer do governo Jair Bolsonaro principalmente após a Vaza Jato, que foram irregularidades da Operação Lava Jato.

Segundo as reportagens produzidas pelo Intercept Brasil, Moro feria a equidistância entre quem julga e quem acusa, porque ele atuava como uma espécie de assistente de acusação, ajudando procuradores na elaboração de denúncias.

PUBLICIDADE

Moro deixou o governo em abril deste ano, após Jair Bolsonaro exonerar Mauricio Valeixo da Polícia Federal. O ex-juiz não conseguiu deixar uma marca no ministério da Justiça. Agora tenta a carreira na consultoria Alvarez & Marsal (EUA), que administra a quebra de empreiteiras como Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão e Sete Brasil, esta última criada para operações no pré-sal. 

O Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil - seccional São Paulo (OAB-SP) notificou o ex-juiz para reiterar que é proibida a prática de atividade privativa da advocacia aos clientes da consultoria norte-americana.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email