Moro obedece Bolsonaro e coloca PF para perseguir porteiro

Sérgio Moro obedeceu Jair Bolsonaro, e enviou ofício à PGR pedindo a instauração de um inquérito em conjunto com a PF para apurar as circunstâncias do depoimento do porteiro do condomínio de Bolsonaro. A ação de perseguição e coação ao porteiro é ilegal e pode levar ao impeachment de Bolsonaro, assegura o jurista Pedro Serrano

247 - O ministro da Justiça Sérgio Moro obedeceu Jair Bolsonaro, e enviou ofício à Procuradoria Geral da República (PGR) pedindo a instauração de um inquérito em conjunto com a Polícia Federal para "apuração"  das circunstâncias do depoimento do porteiro do condomínio de Bolsonaro no qual ele informou ter avisado o então deputado da presença de Elcio Queiroz, um dos assassinos de Marielle Franco, na portaria. Queiroz foi à casa de Ronnie Lessa, morador do mesmo condomínio e pessoa da relação de Bolsonaro, e de lá saíram para matar Marielle. 

A ação de perseguição e coação ao porteiro é ilegal e pode levar ao impeachment de Bolsonaro, assegura o jurista Pedro Serrano.

Com isso, Moro blinda Bolsonaro das investigações que ligam seu clã ao assassinato de Marielle Franco. A informação é da jornalista Tábata Viapiana, repórter do Conjur. 

Veja: 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247