Museu do Lula vai custar R$ 18 milhões aos cofres públicos

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e o prefeito de So Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), vo anunciar a construo de memorial das greves de metalrgicos comandadas pelo ex-presidente no ABC

www.brasil247.com - Museu do Lula vai custar R$ 18 milhões aos cofres públicos
Museu do Lula vai custar R$ 18 milhões aos cofres públicos (Foto: Divulgação)


247 – As históricas greves dos metalúrgicos comandadas pelo ex-presidente Lula vão ser relembradas em um museu de cerca de 10 mil m2, ao lado do Paço Municipal, no ABC. A iniciativa será anunciada amanhã pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT). A obra será financiada pelos cofres públicos – de um total de R$ 18 milhões, R$ 14,4 milhões sairão do governo federal e R$ 3,6 milhões do município.

Leia mais na matéria da Folha:

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), vão anunciar amanhã o início da construção de um museu que lembrará as greves de metalúrgicos comandadas pelo ex-presidente Lula no ABC.

As obras devem custar R$ 18 milhões aos cofres públicos, sendo R$ 14,4 milhões do governo federal e R$ 3,6 milhões do município. O valor inclui apenas as despesas com instalações físicas.

O anúncio será feito um dia antes do primeiro ato público de Lula após o desaparecimento do câncer, a inauguração de um CEU em São Bernardo. Ele dividirá o palanque com Marinho, que tenta a reeleição, e Fernando Haddad, pré-candidato do PT a prefeito de São Paulo.

O Museu do Trabalho e do Trabalhador será erguido num terreno de cerca de 10 mil m2 ao lado do Paço Municipal, um dos cenários das greves que antecederam a criação do partido.

Entre as principais atrações está uma sala vai recriar, com recursos audiovisuais, o ambiente das reuniões históricas lideradas pelo petista nas décadas de 1970 e 1980.

"Não é um museu do Lula, mas é evidente que ele terá uma presença muito forte. Queremos que o visitante se sinta como se estivesse dentro das assembleias de metalúrgicos", diz o prefeito.

O entorno do edifício terá um jardim com ferramentas das fábricas da época. "Incluindo um torno como o que o Lula usava quando perdeu o dedo", anima-se Marinho.

O convênio com o Ministério da Cultura foi assinado em 2010, mas atrasou devido a problemas burocráticos e só agora começará a sair do papel, com um repasse inicial de R$ 1 milhão do Tesouro.

A obra deve durar um ano e poderá ser acompanhada pelo prefeito da janela de seu gabinete. Segundo aliados, Marinho, que foi ministro do Trabalho e da Previdência de Lula, quer usar o museu como símbolo de sua gestão no município. Ele é cotado para disputar o governo de São Paulo em 2014, mas diz não ter intenção de concorrer.

O plano é usar a Lei Rouanet (mecanismo de renúncia fiscal do Ministério da Cultura) para bancar os gastos com o interior do prédio e a montagem das exposições. "Isso pode ser mais caro ou mais barato que o prédio. Ainda não sabemos", diz Marinho.

MEMORIAL

O projeto do ABC resultará no segundo museu com referências à trajetória de Lula construído simultaneamente na região metropolitana.

Há uma semana, vereadores do PSDB paulistano obstruem sessões na Câmara para adiar a votação do projeto que cede um terreno oferecido pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) para o Instituto Lula erguer o Memorial da Democracia, na cracolândia.

O líder tucano Floriano Pesaro tenta convencer os colegas a realizar audiências públicas sobre o tema, numa tentativa de adiar o começo das obras.

O memorial receberá o acervo de Lula na Presidência da República e, segundo o presidente de seu instituto, Paulo Okamotto, ainda não tem orçamento definido.

"Só os estudos devem custar alguns milhões. O total pode chegar a R$ 40 milhões, R$ 60 milhões. Queremos começar logo a construção, que vai gerar emprego e ajudar a recuperar a região", disse.

O Museu do Futebol, que ele cita como modelo, custou R$ 32,5 milhões em recursos da prefeitura, do Estado e da iniciativa privada. Okamotto diz que planeja obter financiamento privado, mas não descarta usar verba pública.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email